______________________________________

.

.

.

sábado, 30 de janeiro de 2016

Jalapão - Tocantins

Dia 19/janeiro/2016
Praia do Alecrim - São Félix do TO
O dia amanheceu chovendo... desmontar a barraca com toda essa chuva não é mole, então preferimos esperar que passasse, pelo menos um pouco. Pra aproveitar o tempo, o Marcos deu um trato no carro, aproveitando a água da chuva pra dar uma lavada básica no possante!
Arrumando a mesa pro café, enquanto chove!
Lavando o Garça com a chuva.
Enquanto isso, eu conversava alegremente com o Paulim, tomando café que ele gentilmente nos ofereceu. Lá pelas tantas, a chuva deu uma trégua e aproveitamos pra zarpar! Nossa aventura de hoje era conhecer as atrações do Norte do Jalapão, entre São Félix do TO e Mateiros. Antes fizemos algumas compras e abastecemos o carro pra garantir... os preços são assustadores! O quilo do tomate custa R$ 12,00, o litro do diesel, R$ 4,00! A justificativa pros preços serem tão altos é a precariedade das estradas, a distância das cidades aos centros mais populosos e com asfalto e a dificuldade em se realizar o transporte nas atuais "rodovias" que circundam a área do Parque Estadual do Jalapão.

Mapa da região
O Parque Estadual do Jalapão é o maior do Tocantins, ocupando uma área de quase 160 mil hectares, juntamente com o Parque Nacional das Nascentes do Parnaíba, Estação Ecológica da Serra Geral do TO, APA Serra da Tabatinga e APA Jalapão, tendo sido criado em 2001. O nome Jalapão é uma homenagem a jalapa-do-brasil, espécie de planta comum nativa da região e de efeitos laxantes.
O Parque ainda é pouco visitado por ter acesso difícil e o uso de 4x4 ser praticamente obrigatório para percorrer as trilhas que levam às atrações. Existem empresas de turismo que fazem roteiros por essas bandas, mas os preços ainda são bastante elevados.
As opções de pernoite ficam concentradas nas cidades de apoio: São Félix do TO (2 pousadas), Mateiros (mais opções de estadia) e Ponte Alta do TO (porta de entrada mais utilizada para o Parque).
Gruta da Suçuapara
Cachoeira do Brejo da Cama
Estivemos no Jalapão em 2010. Você poderá acompanhar nossas aventuras naquela oportunidade pelos links abaixo: 
http://www.viagemfamilia.com.br/2010/07/porto-nacional-jalapao-to-familia-mmdn.html 
http://www.viagemfamilia.com.br/2010/07/jalapao-2010-familia-mmdn-24jul-25jul.html 
Estradas de areia muito fofa 
Cachoeira da Velha: a maior cachoeira da região, com 20 m de largura
Cachoeira da Velha: 15 m de queda
http://www.viagemfamilia.com.br/2010/07/jalapao-2010-familia-mmdn-26jul-26jul.html
http://www.viagemfamilia.com.br/2010/07/jalapao-2010-familia-mmdn-27jul-27jul.html
http://www.viagemfamilia.com.br/2010/07/jalapao-2010-familia-mmdn-27jul-28jul.html
Dunas do Jalapão
Cachoeira do Formiga
Fervedouro
Serra do Espírito Santo
Nesta viagem de 2010 tivemos a oportunidade de visitar a Gruta da Suçuapara, Cachoeira da Velha, Cachoeira do Brejo da Cama, as dunas do Jalapão, fervedouros, Cachoeira do Formiga, além de visitar a comunidade Mumbuca, formada por ex-escravos fugidos da Bahia (quilombo).

Desta vez, no entanto, o clima estava totalmente diferente... então tivemos de nos adaptar e ver aquilo que era possível! Assim, ainda em São Félix do TO fomos visitar a Praia do Alecrim e o fervedouro do Alecrim. Neste último não foi nos permitido tirar fotos sem pagar a taxa de entrada, R$ 10,00 por pessoa. Infelizmente, o tratamento de 3º mundo ainda é bem frequente por essas bandas!
Fervedouro Bela Vista - (63) 9920-9914 Imelda
 Já no Fervedouro Bela Vista, que fica a uns 10 km de São Félix, fomos bem recebidos pela Imelda e sua filha Maísa que permitiram que tirássemos fotos e ainda fixou o preço de camping, caso quiséssemos ficar por lá (R$30,00 por barraca). Ela também fornece refeições, a R$ 30,00 por pessoa (comida variada e farta e à vontade).
Retomando o caminho pesado, passamos pela entrada da Cachoeira do Prata (pertencente à comunidade do Prata, também ex-quilombo), 10 km distante do Fervedouro Bela Vista, pela TO 110. De repente, no meio do caminho havia um caminhão que estava atolado até os eixos, impedindo nossa passagem. Depois de analisarmos a situação, Marcos habilmente "criou" outra estrada pelo mato e conseguimos contornar a situação. Tudo foi filmado, é claro!!
Estrada interrompida... criando caminho alternativo
Em seguida, chegamos ao Fervedouro Buritizinho, da Marilene, onde também pudemos tirar fotos sem pagar as taxas e acabamos fazendo amizade com o casal paulista Adalberto e Teresa. Aqui também a opção de pernoite com barraca e alimentação.

Fervedouro Buritizinho
Depois de um bom papo com o casal, fomos até a Cachoeira do Formiga, próximo dali, onde pretendíamos acampar, como havíamos feito há 6 anos. Infelizmente o local continua precário como naquela época e o atendimento foi horrível. Os rapazes da recepção foram secos e grosseiros, dizendo que para acamparmos seria cobrada uma taxa de R$ 30,00 por pessoa!!(por esse preço pode-se ficar em um hotel) Além disso, o day use aqui é de R$ 20,00, simplesmente o dobro do que em todos os outros locais visitados!
Percebemos, com tristeza, que a única coisa que evoluiu no Jalapão nos últimos anos foram os preços...
Em conversa com a Secretaria de Turismo de Mateiros, soubemos que o proprietário do local(Camping Cachoeira do Formiga) já criou diversos problemas com a administração municipal e também com a questão da conservação do local, onde prolifera lixo e sujeira!! Por isso atenção antes de ficar aí!!
É inconcebível um lugar querer cobrar R$ 20,00 apenas para tirar duas ou três fotografias!!! O Viagem Família recomenda evitar frequentar esses locais onde se valoriza apenas o dinheiro e falta respeito com o viajante! Afinal existem muitas outras opções que respeitam o turista/viajante na região!
Sendo assim, retornamos à estrada principal e eu sugeri que voltássemos uns 500 m e fôssemos conhecer o Fervedouro do Encontro das Águas, pois havia uma pequena placa na estrada indicando o local. 


Fervedouro Encontro das Águas
Após 7 km percorridos em trilha de areia, chegamos a um lugar paradisíaco e solitário! Estacionamos o Garça debaixo de um pequizeiro e decidimos acampar ali nesta noite. O fervedouro é fantástico, com muita pressão e águas transparentes!
Um local paradisíaco e ainda praticamente intocado! Um dos pontos altos dessa viagem!!
Visitantes ocasionais: guia Glauber e ciclistas Rafael e Fábio
Estávamos preparando nossa comida quando chegaram os dois ciclistas que havíamos conhecido em São Félix pela manhã e que estão fazendo o Jalapão de bike: Rafael e Fábio. Também vieram até o fervedouro o guia Glauber (Expedições Jalapão - www.wgexpedicoesjalapao.com.br - (55) 63 9911 -5184) com seu grupo. Batemos um papo e eles curtiram o lugar maravilhoso, depois se despediram e nos deixaram novamente sozinhos!
Este fervedouro chama-se Encontro das Águas, pois o encontro dos rios Soninho e Formiga se dá a poucos metros do fervedouro. 
Rio Soninho
Encontro dos Rios Soninho ao fundo e Formiga à direita
O dia foi acabando, nós ainda fomos tomar mais um banho no fervedouro e ficamos esperando o sol se pôr. Durante a madrugada, a chuva voltou a cair bastante forte. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grato por visitar o ViagemFamilia. Críticas, elogios e quaisquer comentários são desejados, desde que feitos em terminologia ética e adequada.

SE FIZER QUESTIONAMENTOS POR FAVOR DEIXE ALGUMA FORMA DE CONTATO PARA POSSIBILITAR A RESPOSTA, COMO E-MAIL, POR EXEMPLO