______________________________________

.

.

.

sábado, 16 de janeiro de 2016

Parque Nacional Sete Cidades - Piauí

Dia 09/jan/2016
Buritis
Na manhã seguinte, após arrumar tudo e organizar o espaço utilizado, despedimo-nos da Helaine e seguimos pela BR 343 até Piripiri, distante 165 km e, depois de pegarmos algumas informações, seguimos até Brasileira, mais 16 km, onde tivemos de perguntar duas vezes sobre o acesso ao Parque Nacional de Sete Cidades. Pegamos uma estradinha de terra e em poucos quilômetros acessamos o portão sul do Parque, onde o guarda parque nos orientou e seguimos até o Centro de Visitantes, que estava às moscas, em pleno sábado, às 14h!!!
Igreja Matriz da cidade de Piripiri-Piauí
Inicialmente fomos atendidos pelo acompanhante/condutor João Paulo, que nos mostrou as trilhas e falou que o percurso pode ser feito de carro, parando em cada cidade e fazendo trilhas leves a pé, perfazendo um total de 2h 30min e 14 km percorridos.
O preço cobrado pelo guia é de R$ 60,00 caso vá no seu carro e R$ 80,00 no caso de ir de moto própria. Tivemos de retirar uma parte de nossas bagagens para abrir espaço para que o Bruno nos acompanhasse no roteiro!

Condutores à espera de visitantes!
Paramos inicialmente na Sexta Cidade, onde se pode observar a Tartaruga e o Elefante. As formações rochosas são muito impressionantes, pois parecem feitas manualmente... 

Olhando para o elefante
Indo adiante, fomos até a Segunda e Quinta Cidades, onde passamos por baixo do Arco do Triunfo, também chamado de Arco dos Desejos, formação interessante e por onde a estrada passava antigamente. O trajeto hoje é feito apenas a pé, pois a vibração dos veículos estava afetando a estrutura do arco. Também são observadas diversas pinturas rupestres, principalmente grafismos com formas geométricas e mãos. Importante colocar que os estudos e escavações realizadas aqui, no Parque Nacional de Sete Cidades foram realizadas por estrangeiros, principalmente, americanos e franceses. Ao contrário da Serra da Capivara, onde há muitos estudos e pesquisas em andamento, aqui os sítios permanecem abandonados, apesar deste Parque ter sido decretado em meados do ano 1961, muito antes da Capivara ou Confusões!!!

Arco do Triunfo
Continuando a trilha, seguimos para a Vista Panorâmica (de onde se veem todas as 7 cidades), Mezanino e Biblioteca. Este ponto é o mais alto e a vista é realmente bonita e em 360°.
Seguimos até Quinta Cidade, onde visitamos a Furna do Índio e Pedra da Inscrição, com grafismos que lembram a corrente de DNA e carimbos de mãos.
Pinturas rupestres presentes em algumas das Sete Cidades

Mão com 6 dedos


Mais adiante, conhecemos a Gruta do Catirina, sertanejo que viveu juntamente com um filho dentro de uma pequena caverna, nos idos de 1935. Quando seu filho Martinho morreu, em 1944, ele foi embora, não sem antes enterrar seu filho próximo de onde viveram. Este túmulo continua lá, dentro da área do Parque e pode ser visitado próximo da Gruta.
Mezanino da biblioteca
Vista panorâmica: o parque possui pouco mais de 6 mil ha
Detalhe das pedras que compõe o complexo
Na entrada da Quarta Cidade fica um pequeno arco, conhecido como Archete, e lá se pode ver o Beijo dos Lagartos, além do Mapa do Brasil estilizado e a Passagem do Índio. Na Terceira Cidade se vê o Dedo de Deus, Dom Pedro I, os Três Reis Magos e o Galo.
Gruta do Índio
Gruta do Catirina, junto com nosso guia Bruno
Olho
No Olho d’Água dos Milagres pode-se ver uma das 22 nascentes que há dentro da área do Parque e uma piscina natural que estava desativada, por conta do pouco volume de água.
Quando estávamos nos preparando para sair de lá, começou a chover torrencialmente, o que nos impediu de descer e tirar fotos das outras duas cidades que faltavam... Desta forma, tivemos de voltar ao Centro de Atendimento ao Turista, pegar nossas tralhas e sair do Parque, uma vez que lá não é permitido acampar. Antigamente havia um hotel dentro da área do parque, porém ele está desativado (como muitas das coisas observadas por lá: no centro de visitantes deveria haver uma lojinha, uma lanchonete, banheiros, porém está tudo abandonado e sem material)!

Archete
Mapa do Brasil


A poucos metros da entrada do parque dica o Hotel Fazenda Sete Cidades, que também aceita campistas, como nós, e onde acabamos jantando a tão falada Maria Isabel. Nosso pernoite ficou em R$ 40,00 e pudemos usar o banheiro de um dos chalés. O Hotel já teve dias mais gloriosos e melhores! Está decadente, com certo desleixo, mas ainda conta com piscina, restaurante e hospedagem (R$160,00 o chalé para 3; R$130,00 o quarto para casal). Por aqui é a única opção! Na cidade de Piripiri há múltiplas opções de hospedagem, porém a distância é de, aproximadamente, 20 km.  

Nosso acampamento no Hotel Sete Cidades

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grato por visitar o ViagemFamilia. Críticas, elogios e quaisquer comentários são desejados, desde que feitos em terminologia ética e adequada.

SE FIZER QUESTIONAMENTOS POR FAVOR DEIXE ALGUMA FORMA DE CONTATO PARA POSSIBILITAR A RESPOSTA, COMO E-MAIL, POR EXEMPLO