______________________________________

.

.

.

sábado, 2 de janeiro de 2016

Juazeiro e Sobradinho (BA)

Dia 01º/jan/2016

Depois de uma gostosa e tranquila noite dormida, tomamos um cafezão e decidimos conhecer a região. Como eram aproximadamente 9h pela manhã, demos um giro pela cidade de Petrolina, que dormia, buscando conhecer alguns de seus pontos turísticos, a citar: Museu do Artesão (fechado), Museu do Sertão (fechado), Estação de Trem (atualmente, funerária) e o famoso Bodódromo. Este merece uma história à parte.
Estávamos trafegando numa avenida principal e paramos para perguntar para um senhorzinho que estava no ponto de ônibus: 
- Onde é o Bodódromo, senhor? 
- É, veja bem, meu filho... ... O senhor vai, vai indo, e vai lá pra frente, e quando chegar lá na frente a rua vai acabar! Aí o senhor vai pra ZéMaria. Pega o redondo e vai, mas eu tô indo pra lá. Vocês me levam que eu mostro onde é o Bodóqui!
- !!?????????? Infelizmente não temos espaço, senhor! Mas a gente vai achar!! Obrigado!!

Decidimos ir em frente por nossa conta e, a pouco mais de 100 m, achamos o tal Bodódromo!
RSRSRSRSRSRSRSR O episódio virou piada. Continuamos rindo por horas sobre o assunto!
Percorremos o Bodódromo e descobrimos que se trata de uma Via Gastronômica, com inúmeros restaurantes e quiosques servindo pratos típicos à base de bode e carneiro.
Voltaremos mais tarde para comprar o tal bode pra janta!

Antiga Estação Ferroviária, atualmente Funerária
O calor estava intenso e optamos por fazer um retorno de 7 km até Juazeiro, retornando sobre a ponte e visitarmos o local onde há caiaques e stand up paddles para alugar. Paramos o carro na primeira vaga disponível e fomos conhecer o que havia por ali. Casualmente encontramos João Gilberto, ilustre juazeirense da bossa nova, tocando seu violão às margens do São Chico! Também visitamos um vapor histórico que antigamente era utilizado como meio de transporte fluvial no rio São Francisco.
Por algumas horas não encontramos Ivete, que também é juazeirense da gema, e ali estava fazendo o show da virada, e se divertindo ao lado do Rio. (Ivete é a Sangalo!!! já estamos íntimos! rsrsrsr)



 Resolvemos tomar um banho e conhecemos o casal Eduardo e Denísia que estavam responsáveis pelo Caiaques do Vale. Gente muito simpática e hospitaleira que nos contou algumas histórias da cidade e guardou nossos pertences enquanto nos refrescávamos nas límpidas águas do Velho Chico.
Caiaques do Vale - R$20,00 o caiaque duplo por 1h
(74) 9134-6454 ou (74) 8806- 6801

Após uma hora de refresco na água, fomos na direção de Sobradinho, pela BA 210, aproximadamente uns 80 km, sentido Oeste, onde está localizada a Represa e Usina Hidrelétrica de Sobradinho - CHESF. Não há informações e nem placas indicativas da represa. Paramos duas vezes para pedir informação e, ainda assim, nos perdemos, pois há inúmeros entroncamentos e rotatórias. Nossa recomendação é ir devagar e perguntar em postos de combustíveis.
Usina de Energia Eólica Pedra do Reino, no caminho para Piçarrão
Um dos inúmeros canais de desvio das águas do Rio São Francisco
Depois de idas e vindas, finalmente vimos ao longe a represa. Este roteiro é bem interessante, pois a estrada passa sobre a barragem, proporcionando locais para estacionar o veículo em diversos pontos.

Sistema de eclusas que permite a navegação
Desnível das águas de aproximadamente 30 m
Canal de navegação do São Francisco

O lago está apenas com 3% de sua capacidade total e, por este motivo, a geração de energia elétrica também está reduzida. Para que ocorra a navegação pelo rio, e transposição da barragem utilizando sistema de eclusas, é necessário que o nível da barragem esteja em pelo menos 30% do total. O recuo do rio é evidente e já existem árvores e bancos de areia no meio do lago. Cumpre citar que este é o maior lago artificial da América Latina.
A barragem de terra zoneada tem 12,5 km de extensão e 41 m de altura
A potência instalada é de 1050 MW, atualmente reduzida por conta da estiagem
Continuando o circuito em direção à Petrolina, observamos o contraste entre o lago com muita água e a extrema seca a poucos quilômetros dele. A água da represa recuou aproximadamente 8 km em suas margens, propiciando cenas insólitas como árvores grandes crescendo no leito seco do lago. Em alguns locais está sendo aproveitado esse recuo das águas para o cultivo de árvores frutíferas, a citar: manga, goiaba, jaca,...
Acabamos fazendo um trajeto por dentro do leito de um rio seco para conhecer a verdadeira secura do nordeste, nos surpreendendo com a aridez que toma conta de toda a região.
Rio seco já há muitos anos
Esse é um afluente do Rio São Francisco
Passando pelo Aeroporto de Petrolina, aproveitamos para conhecer a sua infra estrutura e citamos aqui que ele possui voos regulares e diários pelas empresas Avianca, Azul e Gol para Recife e São Paulo (Guarulhos). Essas informações nos foram passadas por uma simpática funcionária peruana que trabalha no local. Como não encontramos sorvete (de novo!), retornamos à cidade e fomos buscar nosso almojanta no Bodódromo!!! rsrsrsr

Nós no Aeroporto de Petrolina (PE)
Filé de bode grelhado, macaxeira, angu, arroz e farofa de feijão fradinho
Servidos de um bodinho?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grato por visitar o ViagemFamilia. Críticas, elogios e quaisquer comentários são desejados, desde que feitos em terminologia ética e adequada.

SE FIZER QUESTIONAMENTOS POR FAVOR DEIXE ALGUMA FORMA DE CONTATO PARA POSSIBILITAR A RESPOSTA, COMO E-MAIL, POR EXEMPLO