______________________________________

.

.

.

sábado, 9 de dezembro de 2017

Nova Trento - Rio dos Cedros- Santa Catarina

 
Alto do Morro da Cruz-Nova Trento-SC
      Acordamos cedo e a chuva fina continua. Nossos planos de passar o dia nessa bela praia e desbravar os costões aqui perto são literalmente levados embora pela chuva.
     Ainda bem que temos um plano B. Sempre é bom ter um plano alternativo quando se viaja. Pois nem sempre o clima ou algum outro impedimento são compatíveis com o planejamento inicial. Então vamos ao nosso café da manhã usando as ótimas instalações do Camping Pinheira e decidimos nossa rota para ir até a cidade de Rio dos Cedros distante 255 km ao norte onde mora nosso amigo Diogo e família.
     Combinações via Messenger e Whatsapp nos dias anteriores para encontrar a localização exata, pois apesar de toda tecnologia existente ainda existem locais sem sinal de telefone celular ou internet. Como tínhamos tempo de sobra antes decidimos passar pela cidade de Nova Trento que fica praticamente no caminho e é considerada uma das principais cidades de turismo religioso no estado de Santa Catarina.



     Nova Trento localizada a 80 km da capital catarinense teve origem ao redor dos anos 1875, período de grande afluxo de imigrantes europeus ao estado catarinense. Nova Trento acabou sendo o destino de muitos italianos oriundos da região trentina do Tiro, do antigo Império Austro-Húngaro. Também imigrantes da Lombardia e do Vêneto também acabaram fixando-se nessa região catarinense, e trazendo com eles seus costumes e tradições. Fizemos o acesso entrando pela rodovia SC 410 na cidade de Tijucas às margens da BR 101.
     Hoje a cidade de Nova Trento possui uma população aproximada de 15.000 habitantes e sua economia é baseada principalmente no turismo religioso e agricultura familiar de pequenas propriedades rurais. 
     A agricultura familiar praticada na região tem grande ênfase à vinicultura, pecuária e hortaliças, onde muitas propriedades seguem cultivando produtos da cultura italiana como vinhos, queijos, doces, bolachas, etc. 
     O turismo religioso tomou impulso a partir do ano de 1991 quando da beatificação de Amábile Lúcia Visintainer futura Madre Paulina. Por conta da intensa peregrinação dos devotos em direção a Nova Trento. no ano de 2003 foi iniciada a obra do Santuário Madre Paulina, e terminado e inaugurado depois de 924 dias de trabalho, exatamente em 22 de janeiro de 2006. A cidade hoje possui mais de 20 locais de visitação muitos deles dedicados ao trabalho da religiosa Paulina e outros de aspecto geral como Lagoa, Mirante e Morro da Cruz. 
     Dentro do Santuário cabem aproximadamente 3.000 pessoas que podem ser distribuídas nas capelas laterais ou na nave principal. Existe farto aparato comercial no entorno de forma a atender tanto romeiros e devotos como público em geral, onde se pode adquirir desde os mais variados produtos religiosos ligados a Santa Paulina ou também produtos coloniais com aquele sabor característico da cultura italiana. 
     A oferta de hospedagens em hotéis e pousadas ainda é um pouco tímida e concentra grande de seus leitos aos centros de recepção de romeiros que se dirigem a cidade nas datas comemorativas religiosas. Da mesma forma os restaurantes praticam preços populares mas servem seus pratos bastante saborosos para saciar a todos os gostos.



Entrada do Museu com o Sr. Orsi
     Subimos de carro o famoso Morro da Cruz de onde do seu alto é possível avistar todo o vale a a cidade. No início da subida existe o Museu da Cultura Italiana e um Mercado das Pulgas que é imperdível e muito interessante. São diversas casas temáticas sobre a cultura Italiana com mais de 5.000 peças de todos os tipos. Existem casas só com televisores, outra só com rádios e gramofones, moedas, instrumentos musicais, utensílios de cozinha, enfim tudo que se possa imaginar! Vale uma visita com calma e se puder converse com o fundador do lugar o Sr. Orsi, descendente dos primeiros imigrantes locais com muitas histórias para te contar. Ficamos mais de duas horas percorrendo as diversas casinhas/museu, uma mais interessante do que a outra!

Local onde foi rezada a primeira missa (2 de fevereiro de 1903)

Vista do alto da cidade de Nova Trento

Torre (em reforma) da Igreja Nsa. Sra. do Bom Socorro-Morro da Cruz

     Depois de conhecer o museu subimos o morro e ficamos a admirar a bela paisagem da cidade lá do alto. Mais tarde visitamos também o Santuário, Museu do Imigrante, Praça da Alimentação e claro que comprarmos uns saborosos queijos coloniais e também vinho. Seguimos em frente na direção de Blumenau pela rodovia SC 408 passando por Brusque, Gaspar, Indaial e Timbó para finalmente chegarmos a Rio dos Cedros.

Vista da Igreja de São Virgílio-Nova Trento-SC de dentro do Museu do Imigrante
      Pouco conhecemos do centro da cidade de Rio dos Cedros pois ainda precisávamos descobrir onde nossos amigos Diogo e sua esposa Vani moram e já eram quase 17h.
     Nossas combinações via mensagens eletrônicas geraram um pequeno erro onde as coordenadas que eu inseri no GPS eram 2° erradas. Digitei 28° 35'29,8" S quando na verdade era 26° 35'29,8" S !!!  Esse pequeno errinho nos fez percorrer todos os botecos desde o centro da Rio dos Cedros até o lugar chamado Estrada Alto Palmeiras perto da represa hidrelétrica chamada de Barragem do Rio Bonito.

     Mas todo erro tem suas compensações e de tanto perguntar sobre a localização da casa acabamos fazendo muitos amigos pelo caminho em todos os locais que pedíamos informações. Muitas ofertas de ajuda por telefone, perguntando para vizinhos, e teve gente que até pegou sua moto para procurar a casa do meu amigo Diogo! Outros ofereceram suas casas para pernoitarmos caso não encontrássemos ele. Essa gente do interior é muito bacana e solícita.
     De qualquer forma depois de mais de 1 hora e meia perguntando acabamos achando nosso destino. Passamos um belo final de sábado e domingo com os amigos que tão bem nos acolheram e de quebra ainda fizemos amigos que ainda no dia seguinte vieram verificar se estava tudo bem e tínhamos encontrado nossa busca.
     Mas do pouco que conhecemos Rio dos Cedros gostamos e existem belas paisagens e locais a serem conhecidos numa visita futura.

     Rio dos Cedros recebeu essa nomenclatura pois na época de seu descobrimento ao redor dos anos 1860, havia grande quantidade dessa árvore nos vales dos rios lá existentes.O cedro mais alto então encontrado media 86 metros de altura e recebeu o nome de Grande General Cedro. Infelizmente foi derrubado por uma tempestade em 1917, mas seu tronco ainda está preservado no Museu Natural do Cedro. A cidade possui hoje aproximadamente 12.000 habitantes e sua colonização é bem diversificada contando com a participação de alemães, trentinos-italianos e até búlgaros, estes últimos que se estabeleceram mais no alto da serra.
   
Que tal a vista??

Café da manhã em família


Represa do Rio Bonito-Rio dos Cedros-SC

Meu amigo Diogo e eu

Batendo aquele papo com os amigos Diogo e Vani
     São essas pequenas lembranças e vivências que nos fazem viajar! Nem é preciso ir muito longe para se ter boas experiências e conhecimentos. As viagens nos propiciam sempre ótimas surpresas e grandes amigos que sempre levamos conosco. Agora são poucos quilômetros de volta a nossa casa em Barra Velha-SC.
     670 km percorridos em 5 dias. Custo? NÃO TEM PREÇO que pague a experiência e amizade que adquirimos. Obrigado a todos com quem tivemos contato nesses dias maravilhosos. Sintam-se abraçados e venham nos visitar! Grande abraço do Viagem Família (Mari e Marcos)
   
   

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Garopaba e região 2ª Parte-Siriú e Acampando na Pinheira

   
Praia do Siriú e saída da Lagoa do Macacu-Garopaba-SC.
      Acordamos cedo depois de uma noite com muita chuva com direito a relâmpagos e trovões. A curiosidade era abrir logo a janela para saber como estava o clima e a temperatura. Nesse momento muitas nuvens escuras mas nenhuma chuva o que já é animador.
     Despedimos-nos da gentil acolhida do casal Edmundo e Mônica e decidimos tomar nosso café a beira do mar bem pertinho. A praia escolhida foi a Praia do Siriú, a poucos minutos de onde estávamos hospedados e onde tomamos um gostoso café-da-manhã a beira mar com temperatura agradável.
     Sentir a suave brisa da manhã num lugar tão tranquilo e bonito tomando um gostoso café com a pessoa que a gente ama não tem preço.

Nada melhor do que um gostoso café a beira da praia.


     A Praia do Siriú é a mais extensa de Garopaba. Ela tem um amplo leque de atrações que permitem você passar muitas horas ou até dias no local. Dunas, riachos, cachoeiras, lagoa, morros, para todos os gostos. A parte mais ao norte tem boa infraestrutura de pousadas e restaurantes com ótima qualidade e atendimento diferenciado.
     Para ajudar na digestão do café aproveitamos para caminhar em parte das dunas de areia que hoje estão relativamente fáceis de serem percorridas pois a chuva da noite anterior deixou a areia mais firme. Pode-se alugar e praticar sandboard (prancha de areia) nas mais altas. Essas mesmas dunas estão invadindo as ruas e casas do local o que nos leva a reflexão sobre a ocupação humana nos espaços da natureza.

Subindo para as dunas do Siriú

Muita PAZ!



As dunas quase engolindo a rua e as casas
     A imensidão e o silêncio das dunas é um lugar perfeito para meditar e contemplar sem pressa. De qualquer forma seguimos adiante para a extremidade mais ao norte da Praia do Siriú e lá chegando, ouvidos um chamado... .... que surpresa!! Era o Fernando Nascimento vizinho do Edmundo onde estivemos hospedados nesta noite passada.
     Ele é o proprietário do simpático Restaurante Siriú Norte situado bem pertinho do costão e da praia. Fomos lá conversar e acabamos conhecendo o Fábio Brito que é professor, historiador, escritor e nas horas vagas, rsrsrsrsrsrsrs, gerente do Restaurante do Fernando! Sentar para conversar com essa galera é tema para horas de conversa boa.

Fábio mostrando sua revista

Da esquerda: Fernando, Fábio, Mari,  Álvaro e eu.
     O Fábio também adora viajar e nos contou de sua recente viagem com a esposa para a Grécia. Foi o máximo! O Fernando em comparação além de dono do restaurante é também sócio numa cervejaria artersanal chamada Siriú Artesanal (siriuartesanal@gmail.com) (facebook.com/siriucervejaartesanal).
     Claro que não poderíamos ir embora sem antes comprarmos umas cervejas do Fernando e acabamos sendo presenteados com 4 edições da Revista Pluss Santa Catarina - do Fábio. (revistaplussc@gmail.com) Mais um pouco e acabávamos acampando ali mesmo de tantas histórias para ouvir e contar. As aventuras do Álvaro um cara descolado que está ajudando na divulgação do lugar também são dignas de um livro! Essa gente é como nós, adora uma aventura!!

Adesivo do Viagem Familia colocado-recomendamos o local!(facebook.com/Siriunorterestaurante)

Nós com o Fernando e as cervejas artesanais Siriú

Costão da praia do Siriú

Lagoa do Macacu
     Fazia um friozinho de uns 15 °C e decidimos dar uma caminhada pela praia e também pelo costão para esquentar. A paisagem é muito linda aqui e vale a pena conhecer o lugar e aproveitar para degustar uma boa comida acompanhada pela cerveja artesanal local. Recomendamos!
     O tempo está ficando fechado novamente e uma fina garoa insiste em aparecer. Temos sempre um plano B mas nossa vontade é de passar o dia por aqui mesmo. Logo a frente fomos então conhecer a Praia da Gamboa. Mais uma das belas praias do circuito Garopaba, mas sem muita estrutura. Não tem acessos bem sinalizados e está se transformando num grande loteamento de casas de veranistas.

Praia da Gamboa-Garopaba-SC
Chorão da praia (Carpobrotus edulis)
       Aqui na Praia da Gamboa acaba o limite do município de Garopaba. As próximas praias que queremos conhecer como a Pinheira e Guarda do Embaú já pertencem ao município de Palhoça. Dessa forma voltamos pela SC 434 até a BR 101 onde ainda paramos para abastecer com preços mais razoáveis. Também aproveitamos para vestir agasalhos pois a garoa e o vento esfriaram e a temperatura está ao redor dos 13°C! Mais 11 km para o norte e chega-se ao trevo de acesso para as Praias da Pinheira e Guarda do Embaú. A Estrada de Morretes tem poucos quilômetros de bom asfalto e em poucos minutos chegamos à Pinheira.

     São quase 16h e ainda não almoçamos e dessa forma decidimos procurar um camping para pernoitarmos e também preparar uma boa refeição. Estou querendo comer um belo prato de camarões, que não encontramos na região de Garopaba. Então agora é procurar camping e procurar pescador ou peixaria.
     Diversos campings visitados todos na mesma faixa de preços ao redor do R$ 35,00 a R$ 40,00 por pessoa. Achamos relativamente caro visto que as estruturas oferecidas são básicas com chuveiros, banheiros e pontos de energia. Alguns tem pequenas cozinhas e churrasqueiras à disposição. Área sombreada tem em todos os lugares.
     Como estamos procurando camarão, acabamos achando uma peixaria que tinha o produto de bom tamanho ao preço de R$ 35,00 o quilo. Então seguimos até achar o Camping Pinheira (48-3283-1155) onde fomos gentilmente atendidos pela Jéssica que nos informou o preço de ... R$ 35,00 por pessoa!! Parece que tudo por aqui custa esse preço, hehehehehe...

Degustando "aquele" camarão delícia!


Aqui dormimos muito bem.

Área das churrasqueiras
     De qualquer forma a infraestrutura oferecida por este camping é a melhor de todos que visitamos até agora nessa região. Tem vasta área para barracas, estacionamento, local para motor-home, churrasqueiras, fogão à gás, fogão a lenha, área de alimentação coberta, banheiros amplos e limpos e acesso direto para a praia a poucos metros. 
     Agora é hora de preparar nosso camarão para a almojanta, afinal são quase 18h!! Delícia!!! Camarão, macarrãozinho básico, salada regados a cervejinha gelada e sucos! Encerramos o dia caminhando na praia e no costão e ainda fizemos novos amigos no camping e na praia. Conhecemos o casal Preto, Fábia com a sua filha Luna do Projeto Brasil Especial (www.brasilespecial.com.br) (facebook.com/BrasilEspecial) que mostra como é possível fazer viagens e conhecer todos os lugares mesmo quando se tem alguma limitação. Exemplos de vida e superação. Muito legal conhecer gente como a gente! Tudo de bom para os novos amigos.

Praia da Pinheira-Ponta sul

Brincando de planos e perspectivas com as rochas

Formações de rochas metamórficas bem interessantes

Pontão da Pinheira na parte norte da praia

Segurando a rocha para não ser "esmagado", hehehehehe

Soninho na pedra
     Mais uma vez, para fazer a digestão e aproveitar o resto de claridade do fim do dia vamos passear pela praia e costão da Pinheira também chamado de Pontão.  É uma praia muito bonita com pedras bem interessantes que formam figuras geométricas ou bem diversificadas. Águas tranquilas e limpas sem ondas. Parece um verdadeiro paraíso. Mais um dia está acabando e depois de muitas fotos voltamos para o camping para um gostoso banho e sono.
     Já volta a chover bem forte mas estamos bem abrigados na nossa barraca no teto do nosso companheiro Garça. Bons sonhos!
   

 
   

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Garopaba - Santa Catarina

 
Vista da Praia do Luz com a Ilha do Batuta ao fundo
     Novembro; mês com um feriado bem no meio, exatamente no dia 15, e dessa vez exatamente numa quarta-feira. Como tínhamos disponibilidade de 5 dias para um descanso, optamos por uma viagem mais curta mas nem por isso menos agradável e surpreendente.
     Da nossa querida Barra Velha até Garopaba mais ao sul são pouco mais de 200 km. A última vez que estivemos aqui já faz mais de 10 anos e como a realidade muda rápido.
     Chegamos ao entroncamento da BR 101 ( km 273) com a SC 434 perto das 10h da manhã no do Aniversário da Proclamação da República no Brasil. Dalí poucas quadras nos separavam do acesso à famosa Praia do Rosa que apesar de muita confusão sobre o tema, não pertence ao município de Garopaba mas sim ao município de Imbituba-SC.
     Como nunca tínhamos ido até esta, optamos por fazer um tour por esta parte da costa centro-sul do estado catarinense. A Estrada da Ponte é um dos dois acessos para quem quer chegar diretamente a Barra da Lagoa de Ibiraquera.  O outro acesso é pela Estrada do Arroio mais ao sul na BR 101 no km 277.



     A Estradinha da Ponte muda de nome e passa a ser a Estrada da Barra e vai em boa parte do seu trajeto contornando a Lagoa Ibiraquera com dezenas de estreitas ruelas que dão acesso a muitas casas de veraneio. Nessa época do ano a movimentação de turistas, veranistas e visitantes é bem pequena o que torna o passeio agradável e relaxante. Pode-se parar em todos os lugares bem perto da praia ou da lagoa sem ter que caminhar centenas de metros como quando acontece a alta temporada de verão.
     São poucos quilômetros de muita tranquilidade até chegarmos a Praia do Luz. Esta bela praia fica bem ao lado da Praia da Barra da Ibiraquera que pudemos percorrer parte de carro pois as poucas chuvas fizeram baixar o volume da Lagoa, secando o seu vertedouro para o mar.

Praia do Luz

Ao fundo a Barra da Ibiraquera
     Para alcançar a Praia do Rosa poucas dezenas de metros ao norte, existem dois caminhos. O primeiro é uma pequena trilha a se percorrida à pé ou então volta-se com o veículo até o "centrinho" da Praia do Rosa. Escolhemos este último caminho pois ficamos com vontade de degustar um prato de frutos do mar e as opções ali seria melhores.
     Esta é uma das coisas mais interessantes que acontecem quando se viaja meio sem destino. Para nós do Viagem Família os encontros casuais quase sem querer acabam se transformando em experiências inesquecíveis.
     Sentamos a uma  mesa no Restaurante Arrastão do Sr. Jorge, e prontamente atendidos pelo Gustavo. Conversa vai conversa vem, perguntamos se poderíamos pernoitar mais tarde nos fundos do restaurante pois ali havia um banheirinho e ducha. Ouvindo a conversa, na mesa ao lado estavam o casal Edmundo e Mônica que ofereceram para nos receber na sua casa em Garopaba para acampar. Contato feito e começamos a degustar uma deliciosa anchova grelhada. Mais conversa, senta outro casal ao lado, dessa vez o Jefferson e a Marisol que pediram o mesmo prato. Também ofereceram local para dormirmos. ali mesmo no Rosa. Agradecemos e continuamos a bater animado papo entre generosas garfadas de anchova assada.
   
Degustando uma deliciosa anchova grelhada no Restaurante Arrastão (48-99841-4373)
     Fico a pensar que ainda existem pessoas muito legais que conhecendo nossas aventuras acabam nos convidando a nos hospedar. É claro que viramos amigos e todos esses que tão bem nos recebem não serão mais esquecidos. Obrigado a vocês todos que nos acolheram.
     Para descansar depois de farto almoço nada melhor que uma sombra do guarda-sol observando o belo mar da Praia do Rosa-sul. Quase dormimos, hehehehe... Mas para conhecer precisamos nos deslocar e a Praia do Rosa também tem a parte-norte. Caminhadas de centenas de metros e bem na pontinha da praia uma placa: Trilha para a Praia Vermelha. Lá vamos nós subindo e descendo morros para descobrir que bem no alto um vento muito forte soprava que chegou a arrancar meus óculos e atirá-lo a mais de 10 metros de distância.

Descansando depois do almoço na Praia do Rosa-sul


Trilha para a Praia Vermelha- ao fundo a Praia do Rosa

Aqui meu óculos voou longe
Praia Vermelha ao fundo



Dedão cortado...

     Quase chegando à Praia Vermelha do outro lado do morro já na descida eis que uma afiadíssima pedra produz um profundo corte no meu dedão do pé esquerdo! Descobri porque o local se chama Praia Vermelha; a quantidade de sangue que deixei ali justifica o nome! Essa trilha é bem bonita, pois passa em meio a vegetação preservada e é relativamente fácil de ser percorrida apesar de ser subida e descida de um morro. Bastante sombra e belas paisagens compõem o passeio, só tome cuidado com uma pedrinha afiada quase ao chegar na Praia Vermelha.
    Já está chegando o entardecer e decidimos achar o pouso que o Jeferson e a Marisol ofereceram aqui perto no Rosa. Pior nem tínhamos pego o telefone nem a localização certa. Sabíamos que eram um local onde eles estão montando uma pequena pousada com containers perto da Estrada Geral do Rosa. Pergunta aqui, ali e nada... ... eis que a Mari vê alguns containers num terreno e ... ... achamos!!!! Viva!!! Muitas risadas e a simpatia do casal nos convence que acertamos na escolha.

Residencial Sol do Rosa em construção


Estreando novo quarto.

Jeferson, Marisol, Mari e eu 


     Eles estão literalmente construindo o sonho deles que é ter uma pousada. A novidade é que será uma pousada construída a partir de containers que são modificados e plenamente equipados para dar o maior conforto aos hóspedes. O nome é Residencial Sol do Rosa  (051- 99505-4323)(facebook.com/residencialsoldorosa) e sem medo de errar ficamos orgulhosos em dizer que fomos os primeiros "hóspedes" a ficarmos hospedados apesar das instalações ainda não estarem completamente prontas. É bem silencioso e o espaço de 30 m² de cada container é ótimo! Mais um mês e deve tudo estar pronto para receber com o maior conforto novos hóspedes.
     De quebra fizemos para eles e para nós o jantar que meio improvisado constou de sobre-coxas de frango com ervas e um tradicionalíssimo ... ... miojo!!!! Salada também é claro, tudo regado a uma boa cervejinha e sucos.

Praia do Ouvidor-Garopaba-SC
     Noite bem dormida, café da manhã tomado na varanda do container e despedimo-nos dos novos amigos para seguir na dura vida de ir procurar outra bela praia. A escolhida da vez é a Praia do Ouvidor. Chegamos bem cedinho e pouca gente. Tranquila, mar calmo, por aqui os carros circulam livremente pela praia. Nós deixamos o nosso carro o Garça estacionado na sombra e fizemos a praia de ponta a ponta 4 vezes à pé! A primeira vez para passear mesmo. A segunda, quase hora do almoço para experimentar o pastel da Graça.
     A Graça Lata Velha (048- 99824-4694) como é conhecida vende seus deliciosos pastéis de camarão, siri, carne e demais sabores na ponta norte da Praia do Ouvidor. Por que Graça Lata Velha? Porque ela participou do Programa do Luciano Huck da TV Globo e teve sua Veraneio 1974 reformada para virar um pequeno Food Truck. Claro que batemos aquele papo com ela e com o Oscar que ajuda ela com todo o trabalho de bem atender e servir a galera que aparece. recomendamos o pastel da Graça Lata Velha, huuummmmmmm....

Pastel de siri delicioso

Nós com a Graça e o Oscar, são TOP!

Nosso carro o Garça na outra ponta da praia

Praia do Ouvidor-Garopaba-SC.


     Melhor é que vamos andar bastante e queimar as calorias extras adquiridas com os quitutes. Afinal tem vantagens parar o carro longe, ainda mais quando o visual do lugar é belíssimo. Passamos o dia todo e no fim da tarde nos dirigimos para o centro de Garopaba pois já tínhamos combinado com o Edmundo (que conhecemos ontem no restaurante) que iríamos então ficar na casa dele.
     Ainda deu um tempinho para passear na orla da Praia de Garopaba e visitar a Igreja Matriz de São Joaquim (1830). Ela foi edificada sobre uma grande pedra originalmente usada como armação de baleias (local onde as baleias eram descarnadas e processadas) pois no século XVIII essa praia foi importante núcleo baleeiro de Santa Catarina.

Matriz de São Joaquim local de antiga armação de baleias

Praia de Garopaba

Vista da Praia de Garopaba do alto do morro da Igreja de São Joaquim
      Interessante notar que apesar do bom tempo e calor a cidade está relativamente vazia e com poucos veranistas. Os hotéis também vazios praticam preços de baixa temporada que ao nosso ver ainda são bastante caros pela infraestrutura e serviços apresentados. É bem estranho conversar com proprietários de estabelecimentos e ouvir as mais variadas explicações sobre o porque dos altos preços e questionados que essa deve ser a motivação das casas comerciais estarem vazias, ficam meio sem graça e sorriem forçadamente. Passa da hora de comerciantes e prestadores de serviço em regiões ditas turísticas, de não mais explorarem o bolso do turista. O turismo sim deve ser explorado de forma a respeitar a todos, fazendo com que mesmo em épocas menos tradicionais, mais pessoas possam usufruir as belezas e atrações dos lugares.

Garopaba do alto do morro das antenas
     O significado do nome Garopaba vem da língua Tupi-Gruarani que significa (ygara-barco/embarcação) e (mpaba-enseada) Então bem apropriado Garopaba ser chamada de Enseada das Embarcações.  É uma das cidades mais antigas do Brasil com registros desde 1525. Foi transformada em Vila no ano de 1877 e hoje conta com aproximadamente 20.000 habitantes fixos podendo a chegar a mais de 150.000 no verão não contando os turistas ocasionais. Conta com boa rede de hospedagem incluindo aí muitas casas de moradores que na alta temporada alugam suas casas próprias.

Hospedados na casa de novos amigos

Com nossos amigos Mônica e Edmundo

Vista noturna de Garopaba
     Voltamos ao nosso carro após ficarmos conversando com um morador da cidade num banco da praça e acabamos encontrando o Edmundo que nos havia convidado a ficar na sua casa. Seguimos ele e hoje ficaremos gentilmente hospedados com ele e sua esposa Mônica com uma bela vista da cidade.
     Inicialmente ficaríamos dormindo na nossa barraca no teto do Garça, mas ao anoitecer caiu uma grossa chuva e o Edmundo decretou que iríamos ficar num quarto da casa pois a chuva era muito intensa. Agradecemos imensamente a hospitalidade e retribuímos preparando o jantar que foi com uma receita de salteado de carne bovina que aprendemos no Chile.

     Um importante detalhe que ainda não mencionamos: Até agora em todos os lugares que passamos existem algumas opções para que viajantes, campistas e motorhomes possam ter locais de pernoite e apoio. Diversos campings já estão funcionando a partir de novembro. Também é possível pernoitar em alguns locais como perto de praias em estilo mais "selvagem" sem nenhuma estrutura instalada. Em geral a população da região é bem legal e procura receber bem o viajante. Tudo depende de uma boa conversa e muito respeito, fica a dica! Viajar e pernoitar com responsabilidade é uma boa escolha.
     Amanhã seguimos adiante na nossa viagem e vamos ver como fica o tempo pois a previsão é de chuva nos próximos dias. Boa noite.