Viagem Família______________________________________

.

quinta-feira, 10 de maio de 2018

Novos Projetos-Superando Expectativas


Neste final do mês de maio de 2018 acontecerá na cidade de Brusque - Santa Catarina a 25ª Fenajeep.

     É a Festa/Feira Nacional do 4 x 4. A Maior festa jipeira do Brasil e da América do Sul. Entre os dias 21/06 e 24/06 muitas atrações na já tradicional área reservada para este que é o mais importante ponto de encontro dos amantes do Off-road.

     Neste ano fomos convidados e estaremos expondo nosso carro e nossas aventuras juntamente com a empresa Blue Camping, que com o passar dos anos tornou-se nossa grande parceira nessa forma de viajar com uma barraca no teto do carro.
     Iniciamos essa nova etapa com a barraca de teto no ano de 2016, quando percorremos grande parte do interior do nordeste brasileiro, numa viagem de 40 dias e quase 14.000km rodados. Foi a primeira experiência de viajar com a casa nas costas. Adoramos!! Depois disso diversas viagens pelo Brasil e mais outras tantas pela América do Sul, sempre com nossa querida barraca que apelidamos " Ninho".
     


     Convidamos a todos os amigos e amantes do off-road e viagens de aventura para conhecer nossa mais nova viagem. Serão milhares de quilômetros por caminhos para nós até agora desconhecidos.
Durante mais de 10 anos percorremos outros tantos de milhares de quilômetros pela América do Sul onde vimos e vivemos experiências lindas e extremamente gratificantes. Pessoas, culturas, paisagens, gastronomia, tudo nos motivou a desbravar nosso continente mais ao sul.
     Nessa primeira etapa que acreditamos terá a duração aproximada de 01 ano pretendemos percorrer toda a América Central, Estados Unidos e Canadá, finalizando o percurso das Américas do extremo sul da Patagônia até o círculo polar Ártico no Alaska.
     Depois será pelo menos mais 01 ano pela Europa, e quem sabe mais... muito mais...

Novo roteiro para 2019, 2020, 202....

     Venha nos visitar na Fenajeep, e lá te explicamos o que mais tem de novidade. Grande abraço!!

sexta-feira, 9 de março de 2018

Destino > Laguna Del Diamante-Argentina-Cordilheira dos Andes

 
Laguna del Diamante
     Nossas viagens até agora sempre foram determinadas pelo tempo em dias que temos disponível.
Isso não é exclusividade nossa, até porque na esmagadora maioria das vezes os viajantes utilizam-se dos períodos de férias, feriados ou finais de semana para viajarem e conhecerem novos destinos.
     Desta vez ainda que não sigamos fielmente um roteiro e deslocamento fechados, temos um tempo superior aos normais 30 dias habituais de férias, e desta forma é quase certo que ultrapassaremos 40 dias na estrada para percorrer um planejamento básico pré-traçado de mais de 15.000 km.

     O roteiro macro foi definido em três pontos principais que queremos conhecer. O primeiro será a Laguna Del Diamante, localizada a pouco mais de 200 km de Mendoza, na Cordilheira Andina. Plano inicial: Passar a virada do ano novo no alto da Cordilheira às margens da Laguna.
     A data de nossa saída ficou para o dia 26 de dezembro de 2017, logo após o Natal, habitualmente comemorado junto da família. Ponto de partida: Curitiba, capital do estado do Paraná.


     Saímos pontualmente às 9h30m da casa de nossos amigos e parceiros de viagens anteriores Luiz, Eduwirges e Pedro. Temos muitos quilômetros a percorrer hoje já que pretendemos dormir bem na divisa do Rio Grande do Sul com a Argentina. Nossa meta é alcançar a cidade de São Borja-RS. distante 960 km da capital paranaense. Mas como planejamento não significa realização, acabamos somente rodando 800 km pois já são 9 da noite e um bom lugar para descansar e comer é preciso.
     Nosso plano também é de dormir apenas na nossa barraca e comer comida que nós mesmos iremos preparar. Detalhes para saber quanto custa uma viagem sem utilização de hotéis, pousadas e restaurantes. Acabamos não resistindo a oferta da simpática proprietária do restaurante anexo a um posto de combustíveis na cidade de Ijuí (BR 285), que abaixou o preço do buffet de R$ 18,00 por pessoa para R$ 10,00 com direito a dois bifes com ovo para cada um como extra! Nada mau para quem não almoçou hoje.

Jantando a vontade bem baratinho em Ijuí-RS.

Acampando em Posto de Combustíveis em Ijuí-RS
       A pergunta sempre aparece para nós que viajamos com nossa barraca. Onde vocês vão tomar banho? Temos um reservatório de água para banho e lavação em geral no carro, mas por um problema na entrega dos Correios, a bomba elétrica pressurizada para utilizar a água com chuveirinho não veio nesta viagem. Desta forma tomaremos banho em postos de combustíveis, rios, lagos, e em último caso banho de caneca mesmo! Nesse caso de hoje foi no posto de combustíveis a um preço de R$ 5,00 por 7 minutos. Dá para 2 pessoas tomarem banho nesse tempo!

Indo de Ijuí a São Borja-RS.
     Dia seguinte, café da manhã e estrada! 215 km até São Borja. trâmites aduaneiros Em Santo Tomé-Arg. de 5 minutos! Aqui cabe um aviso: Providencie na divisa  Pesos Argentinos P$ para pagar os peajes/pedágios.  Tudo certo, seguimos pela Ruta 14 e 120 até  perto de Posadas e depois pela Ruta 12 em direção a Corrientes. De Corrientes passando por Resistência agora já na RN 11 acabamos sendo parados pela Policia Caminera Argentina que pediu todo tipo de documento, até carteira de vacinação????  Na verdade queria um "regalo"/ propina que depois de quase 40 minutos desistiram porque viram que não iriam receber nada mesmo!! Por que sempre aparece um guarda "esperto" querendo suborno?

Jantar com a companhia do amigo cachorro, nos fundos do posto de pedágio.

Acampamos aqui, atrás do posto de pedágio na Ruta 11 em direção ao sul da Argentina.
      Chegamos ao final da tarde na cidade de Reconquista 230 km ao sul de Corrientes. Hoje foram 750 km mas pretendemos rodar um pouco menos para não cansar demais afinal não temos pressa em chegar! Decidimos acampar no Posto de Pedágio da RN 11 com direito a banho, água potável, energia, banheiros, tudo sem pagar nada. De quebra ainda fizemos amizade com a Agostina e o Fabian, encarregados desse pedágio, e que foram super gentis e atenciosos conosco,  vindo algumas vezes conversar sobre nossas viagens e perguntar se estava tudo bem.

Camping Municipal de Rio Cuarto-Argentina
      Café da manhã, estrada novamente. Ruta 11, 19 e 158 passando por VA. Maria e chegando ao final da tarde novamente na cidade de Rio Cuarto. 800 km hoje e achamos o Camping Municipal bem ao lado do Rio de banha a cidade e dá o nome a mesma também. Boa estrutura, e nesse camping pagamos P$ 100,00 para o carro, P$ 100,00 para a barraca e mais P$ 60,00 por pessoa! Não entendemos o por que pagar pelo carro e barraca + pessoa, já que nossa barraca + carro ocupa só um espaço! Resumindo: Custo total aproximado de R$ 60,00 (reais).
     Pela manhã um passeio a pé pelas margens do Rio Cuarto com toda infraestrutura de parque. Mais uma volta de carro pela cidade e ... estrada novamente.

Amanhecer em Rio Cuarto

Rio Cuarto

Pica-Pau Verde Barrado (Colaptes melanochloros)
     9 h da manhã e hoje dia 29 de dezembro voltamos a estrada, pela Ruta 30 até a cidade de Achiras mais ou menos 80 km ao sudoeste. Esta cidade é uma vila serrana do século XVI e colonizada por espanhóis a partir de 1830, em diversas conflitos contra os indígenas locais. Em Achiras existem diversos balneários de rio com boa estrutura muito bonitos.Neles pode-se acampar ou apenas passar o dia. Também fomos visitar o Museu da cidade e a cuidadora do Museu a Cristina foi muito atenciosa e acabamos sendo levados por ela para um tour pela cidadezinha.


Balneário Municipal

Museu de Achiras-Argentina

Peças pré-coloniais de mais de 2000 anos

Observando a arquitetura colonial da cidade

Plaza do Fortin de Achiras

Caminhando pela cidade com a Cristina

Assinando e colocando a marca do Viagem Família no livro do museu.
     Neste museu que já foi quartel, escola e casa do intendente da cidade na época colonial agora existe bastante material explicativo, inclusive peças arqueológicas pré-coloniais.
     Sempre seguindo ao sudoeste, agora pela Ruta 7 mais 300 km passamos por Mendoza e optamos para dormir em Lujan de Cuyo 21 quilômetros ao sul já na Ruta 40. Achamos o Camping dos Petroleros, que apesar de ser particular aceitava não associados. Preço P$ 240,00 pesos.(mais ou menos R$ 40,00 reais).
     Jantar preparado no capricho a luz de lanterna de LED. Banho tomado e sono!
     Uma ótima estrutura com quadras de esporte, grande área arborizada, piscina, churrasqueiras e até um quiosque/mercadinho que vendia tudo que fosse necessário. Claro que com o calor de 30°C que fazia não perdemos tempo e logo nos jogamos na ótima piscina onde ficamos até que o guarda-vidas do local avisou que iria encerrar o uso por aquele dia. Eram 20h mas ainda tinha sol! Tudo bem, aproveitamos o suficiente!
 Neste camping muitas pessoas fazem o day-use e ele estava cheio! Mas o melhor é que durante a noite apenas 3 ou 4 campistas como nós, nos permitiu um bom sono. Tinha um barulhento que foi gentilmente convidado a se retirar pelo gerente do camping, pois ficou com música alta até a meia-noite!
   
Aproveitando a "pilleta"

Jantar romântico
      Hoje dia 30 é nosso desejo chegar a Laguna del Diamante. São mais ou menos 210 km até o posto de controle dos Guarda-Parque da Reserva Provincial Laguna del Diamante onde se faz o registro de ingresso e paga-se uma taxa de P$ 230,00 (pesos) por pessoa. Neste local fomos avisados que a subida inicial de 15 a 20 km é bem ruim, seguida de mais subida de 25 km menos ruim. Total, 45 km de rípio, pedras, valetas, pó mas muitas belas paisagens dos Andes a nossa volta. Levamos 4 horas para chegar a Laguna e apesar da péssima estrada valeu cada minuto. Temperatura média de 15°C com muito sol e muitas fotos pelo caminho. Paramos algumas vezes para resfriar o motor do nosso Garça para não forçar a subida!

Achamos muitas cebolas jogadas na beira da estrada.

A caminho da Laguna del Diamante

Posto de controle Guarda-Parque
Subindo os Andes



Muita subida ...

Lindas paisagens.

Os primeiros guanacos

Abrigo de montanha no meio do caminho

Vejam o traçado da estrada subindo a cordilheira

Avistamos o Vulcão Maipo, que faz divisa com o Chile

Chegamos!!! Nosso primeiro objetivo desta viagem!

A Laguna del Diamante com o Volcán Maipo ao fundo! LINDOS
     Então depois de 5 dias na estrada e 3.000 km rodados vimos pela primeira vez a lindíssima Laguna del Diamante.  Circulamos pela sua margem até o outro lado onde decidimos acampar selvagem. Havia mais dois ou três carros ali, pertencentes a um grupo de pescadores de trutas, com quem nós logo fizemos amizade!

Fazendo amigos e ganhamos umas trutas. Obrigado Sérgio, Ariel e Marcelo!

Jantar a beira da Laguna Diamante
     São 16 h e é hora de preparar nosso almojantar. Hoje foi macarrão com linguiça, molho e ervilhas. A temperatura está em torno de 10°C mas pouco vento, e isso nos motivou a passear para aproveitar o tempo bom e o sol ainda alto. A visão da Laguna do alto de um pequeno morro que subimos é fantástica, ainda mais com o pôr-do-sol e as montanhas ao fundo! Realmente foi uma ótima decisão vir conhecer esse pedacinho de paraíso no alto dos Andes.

Observando a Laguna ao pôr-do-sol

Acampando a 3.500 msnm . Só nós e a natureza na sua plenitude.

   

sábado, 9 de dezembro de 2017

Nova Trento - Rio dos Cedros- Santa Catarina

 
Alto do Morro da Cruz-Nova Trento-SC
      Acordamos cedo e a chuva fina continua. Nossos planos de passar o dia nessa bela praia e desbravar os costões aqui perto são literalmente levados embora pela chuva.
     Ainda bem que temos um plano B. Sempre é bom ter um plano alternativo quando se viaja. Pois nem sempre o clima ou algum outro impedimento são compatíveis com o planejamento inicial. Então vamos ao nosso café da manhã usando as ótimas instalações do Camping Pinheira e decidimos nossa rota para ir até a cidade de Rio dos Cedros distante 255 km ao norte onde mora nosso amigo Diogo e família.
     Combinações via Messenger e Whatsapp nos dias anteriores para encontrar a localização exata, pois apesar de toda tecnologia existente ainda existem locais sem sinal de telefone celular ou internet. Como tínhamos tempo de sobra antes decidimos passar pela cidade de Nova Trento que fica praticamente no caminho e é considerada uma das principais cidades de turismo religioso no estado de Santa Catarina.



     Nova Trento localizada a 80 km da capital catarinense teve origem ao redor dos anos 1875, período de grande afluxo de imigrantes europeus ao estado catarinense. Nova Trento acabou sendo o destino de muitos italianos oriundos da região trentina do Tiro, do antigo Império Austro-Húngaro. Também imigrantes da Lombardia e do Vêneto também acabaram fixando-se nessa região catarinense, e trazendo com eles seus costumes e tradições. Fizemos o acesso entrando pela rodovia SC 410 na cidade de Tijucas às margens da BR 101.
     Hoje a cidade de Nova Trento possui uma população aproximada de 15.000 habitantes e sua economia é baseada principalmente no turismo religioso e agricultura familiar de pequenas propriedades rurais. 
     A agricultura familiar praticada na região tem grande ênfase à vinicultura, pecuária e hortaliças, onde muitas propriedades seguem cultivando produtos da cultura italiana como vinhos, queijos, doces, bolachas, etc. 
     O turismo religioso tomou impulso a partir do ano de 1991 quando da beatificação de Amábile Lúcia Visintainer futura Madre Paulina. Por conta da intensa peregrinação dos devotos em direção a Nova Trento. no ano de 2003 foi iniciada a obra do Santuário Madre Paulina, e terminado e inaugurado depois de 924 dias de trabalho, exatamente em 22 de janeiro de 2006. A cidade hoje possui mais de 20 locais de visitação muitos deles dedicados ao trabalho da religiosa Paulina e outros de aspecto geral como Lagoa, Mirante e Morro da Cruz. 
     Dentro do Santuário cabem aproximadamente 3.000 pessoas que podem ser distribuídas nas capelas laterais ou na nave principal. Existe farto aparato comercial no entorno de forma a atender tanto romeiros e devotos como público em geral, onde se pode adquirir desde os mais variados produtos religiosos ligados a Santa Paulina ou também produtos coloniais com aquele sabor característico da cultura italiana. 
     A oferta de hospedagens em hotéis e pousadas ainda é um pouco tímida e concentra grande de seus leitos aos centros de recepção de romeiros que se dirigem a cidade nas datas comemorativas religiosas. Da mesma forma os restaurantes praticam preços populares mas servem seus pratos bastante saborosos para saciar a todos os gostos.



Entrada do Museu com o Sr. Orsi
     Subimos de carro o famoso Morro da Cruz de onde do seu alto é possível avistar todo o vale a a cidade. No início da subida existe o Museu da Cultura Italiana e um Mercado das Pulgas que é imperdível e muito interessante. São diversas casas temáticas sobre a cultura Italiana com mais de 5.000 peças de todos os tipos. Existem casas só com televisores, outra só com rádios e gramofones, moedas, instrumentos musicais, utensílios de cozinha, enfim tudo que se possa imaginar! Vale uma visita com calma e se puder converse com o fundador do lugar o Sr. Orsi, descendente dos primeiros imigrantes locais com muitas histórias para te contar. Ficamos mais de duas horas percorrendo as diversas casinhas/museu, uma mais interessante do que a outra!

Local onde foi rezada a primeira missa (2 de fevereiro de 1903)

Vista do alto da cidade de Nova Trento

Torre (em reforma) da Igreja Nsa. Sra. do Bom Socorro-Morro da Cruz

     Depois de conhecer o museu subimos o morro e ficamos a admirar a bela paisagem da cidade lá do alto. Mais tarde visitamos também o Santuário, Museu do Imigrante, Praça da Alimentação e claro que comprarmos uns saborosos queijos coloniais e também vinho. Seguimos em frente na direção de Blumenau pela rodovia SC 408 passando por Brusque, Gaspar, Indaial e Timbó para finalmente chegarmos a Rio dos Cedros.

Vista da Igreja de São Virgílio-Nova Trento-SC de dentro do Museu do Imigrante
      Pouco conhecemos do centro da cidade de Rio dos Cedros pois ainda precisávamos descobrir onde nossos amigos Diogo e sua esposa Vani moram e já eram quase 17h.
     Nossas combinações via mensagens eletrônicas geraram um pequeno erro onde as coordenadas que eu inseri no GPS eram 2° erradas. Digitei 28° 35'29,8" S quando na verdade era 26° 35'29,8" S !!!  Esse pequeno errinho nos fez percorrer todos os botecos desde o centro da Rio dos Cedros até o lugar chamado Estrada Alto Palmeiras perto da represa hidrelétrica chamada de Barragem do Rio Bonito.

     Mas todo erro tem suas compensações e de tanto perguntar sobre a localização da casa acabamos fazendo muitos amigos pelo caminho em todos os locais que pedíamos informações. Muitas ofertas de ajuda por telefone, perguntando para vizinhos, e teve gente que até pegou sua moto para procurar a casa do meu amigo Diogo! Outros ofereceram suas casas para pernoitarmos caso não encontrássemos ele. Essa gente do interior é muito bacana e solícita.
     De qualquer forma depois de mais de 1 hora e meia perguntando acabamos achando nosso destino. Passamos um belo final de sábado e domingo com os amigos que tão bem nos acolheram e de quebra ainda fizemos amigos que ainda no dia seguinte vieram verificar se estava tudo bem e tínhamos encontrado nossa busca.
     Mas do pouco que conhecemos Rio dos Cedros gostamos e existem belas paisagens e locais a serem conhecidos numa visita futura.

     Rio dos Cedros recebeu essa nomenclatura pois na época de seu descobrimento ao redor dos anos 1860, havia grande quantidade dessa árvore nos vales dos rios lá existentes.O cedro mais alto então encontrado media 86 metros de altura e recebeu o nome de Grande General Cedro. Infelizmente foi derrubado por uma tempestade em 1917, mas seu tronco ainda está preservado no Museu Natural do Cedro. A cidade possui hoje aproximadamente 12.000 habitantes e sua colonização é bem diversificada contando com a participação de alemães, trentinos-italianos e até búlgaros, estes últimos que se estabeleceram mais no alto da serra.
   
Que tal a vista??

Café da manhã em família


Represa do Rio Bonito-Rio dos Cedros-SC

Meu amigo Diogo e eu

Batendo aquele papo com os amigos Diogo e Vani
     São essas pequenas lembranças e vivências que nos fazem viajar! Nem é preciso ir muito longe para se ter boas experiências e conhecimentos. As viagens nos propiciam sempre ótimas surpresas e grandes amigos que sempre levamos conosco. Agora são poucos quilômetros de volta a nossa casa em Barra Velha-SC.
     670 km percorridos em 5 dias. Custo? NÃO TEM PREÇO que pague a experiência e amizade que adquirimos. Obrigado a todos com quem tivemos contato nesses dias maravilhosos. Sintam-se abraçados e venham nos visitar! Grande abraço do Viagem Família (Mari e Marcos)