Viagem Família______________________________________

.

domingo, 9 de agosto de 2020

Estônia: um país surpreendente e inesquecível!

A linda Tallinn, capital da Estônia

Geograficamente os países do Báltico - Lituânia, Letônia e Estônia - são todos muito semelhantes. Longas planícies, elevações que não ultrapassam os 330 msnm e muitas e grandes áreas de reflorestamento! A Estônia está localizada no paralelo 59 (a capital, Tallinn), exatamente a mesma que o sul do Alaska, ou a Noruega e Suécia, portanto estamos falando de dias muuuuiiiiiito longos no verão (sol da meia noite) e temperaturas negativas muito baixas no inverno. 

Desta forma, dá pra entender que quando é verão, o povo sai, vai pra praia, se expõe ao sol e curte o calorzinho, que não ultrapassa os 32º C! E nós fizemos o mesmo... 

Pärnu


PÄRNU - MATSI

Nosso primeiro destino no país foi o lindo balneário de Pärnu, onde demos "um giro" e fomos até a pacata praia de Matsi, onde achamos um local incrível - Camping Público - com infra-estrutura básica e gratuito, onde acabamos ficando por duas noites e três dias. Foram dias de puro ócio e lazer!!! 

Matsi

Nosso acampamento em Matsi, no Camping Público RMK



Churras com os amigos Üller e Tiia

Aqui conhecemos o casal Üller e Tiia, com quem aprendemos muito sobre a cultura e história do lugar, além de Tiia nos presentear com um lindo e saboroso cogumelo gigante, chamado de Macrolepiota procera


O "pequeno" cogumelo que Tiia nos presenteou

Depois de temperado e passado no ovo batido, fritá-lo: fica com sabor de bisteca à milanesa

Entre as tradições locais está a coleta de cogumelos e frutas (berries - amoras) na floresta. Esta é uma atividade familiar que avós e pais passam pros filhos, inclusive mostrando os lugares secretos onde há o que está sendo procurado! Cada família tem seu território de busca, que mesmo não estando demarcado, é respeitado. Foi bem interessante observarmos essa coleta, quando estávamos fazendo nossos acampamentos e de repente aparecia alguém coletando frutas ou cogumelos perto de onde estávamos. 

Este balneário e resort de Pärnu foi fundado pelos Cavaleiros Teutônicos, em 1251, no lugar onde construíram uma fortaleza e a cidade passou a ser um importante porto da Livônia (terras que compreendiam a área atual da Letônia e Estônia). Posteriormente foi ocupada pelos suecos (séc. XVI) e anexada ao Império Russo (1721). Hoje em dia é procurada por pessoas com problemas de articulações, coluna espinhal, sistema nervoso periférico etc para tratamentos com os banhos de lama medicinal de Pärnu e outros semelhantes. 

PALDISKI - 

Nossa próxima parada foi a antiga base nuclear russa (de submarinos) em Paldiski. Chegamos num domingo, achando que era segunda-feira!! rsrsrs A cidade estava às moscas e fomos conhecer o Farol mais alto da Estônia, com 52 m de altura e cuja construção foi ordenada por Pedro, O Grande, por volta de 1718. 





Bunker transformado em ambiente externo da casa

Aqui foi construída a mais antiga linha férrea que ligava o Mar Báltico, passando por Tallinn (naquela época chamada de Reval) e Narwa, até São Petesburgo (1870), justamente por ser o único porto cujas águas não congelam durante os invernos rigorosíssimos da região. 

Falésias de Paldiski

Nosso acampamento, protegido no meio da vegetação. Ao fundo, campo eólico

Acesso à praia


A base militar nuclear russa funcionou desde os anos 1960 até 1990, aproximadamente, onde o último reator nuclear foi "isolado" em 1994. Assim como na localidade de Karosta, em Liepaja (Letônia), aqui também esta cidade era conhecida como "Cidade Fechada", pois os seus habitantes não tinham permissão para deixá-la ou ninguém podia entrar sem uma permissão oficial. 

Sistema de túneis e bunkers ao lado do penhasco




PADISE - Monastério (Kloster) fundado pela Ordem Cisterciana, em 1310. Transformada em Fortificação em 1559, depois invadida pelo Império Russo sucedido pelo domínio sueco e, por fim, transformada em casa de campo em 1766, hoje abriga um Museu, que pode ser visitado (6 Euros por adulto)

Kloster, em Padise





Brincando no tear

Casa de campo, de 1766


KEILA-JOA (
Quedas Keila): terceira maior cachoeira da Estônia, com 6 m de altura e 60 ou 70 m de comprimento. Há uma pequena Hidrelétrica funcionando no local, que gera uma energia de 365kW. 




Em 1555 foi construído aqui, por um alemão, um moinho para grãos. O Palácio existente anexo abrigou famílias nobres desde sua construção, no séc. XIX. Durante o período de ocupação soviética, foi base do Exército Vermelho. Não pode ser visitado. 

Palácio construído no séc. XIX

Usina Hidrelétrica

Prédio da usina

KLOOGA LAAGER JA HOLOKAUST - Memorial em homenagem às vítimas do Holocausto. Aqui também havia Campo de Concentração, onde 2000 judeus (ciganos e outras pessoas) foram assassinadas, vindas da região e também de Riga (Letônia).




E por falar em Estônia, algumas curiosidades...

Historicamente o idioma estoniano está diretamente ligado à Finlândia (e Lapônia) com ligações culturais e históricas dos países nórdicos, Dinamarca, Finlândia e Suécia. O nome Estônia apareceu pela primeira vez no livro do historiador romano Tácito (98d.C.): "os habitantes das terras do leste (ou Eesti)".

O idioma é diferente do letão ou lituano e possui muitos tremas na escrita

Durante séculos as terras da Estônia foram ocupadas por outros povos, semelhantemente aos vizinhos Lituânia e Letônia.  Russos, dinamarqueses, finlandeses, suecos e germânicos acabaram por construir a identidade deste povo que só na metade do séc. XIX passou a  ter uma noção e identidade de país. A primeira Constituição é de 1917!


Assim chegamos ao ponto mais boreal deste país e de nosso roteiro: TALLINN, a linda e inesquecível capital da Estônia.

Entrada da Cidade Antiga, com a torre construída em 1511-1530. Hoje é onde funciona o Museu Marítimo da Estônia

Uma das inúmeras torres de observação da muralha





Impossível descrever esta cidade em poucas linhas... a Old Town é simplesmente um encanto! Onde se olha há construções lindas e vielas misteriosas. Ficamos perambulando sem destino por horas, observando a arquitetura peculiar e diversa de suas construções. 

Resquícios da ocupação soviética


Reencontro com os amigos catalães, Francesc e Sonia



O lugar é tão lindo que decidimos ficar mais um dia, acampando num estacionamento público (2 Euros por 24h) próximo de um dos Portões da Cidade Antiga, onde muitos outros viajantes (Overlanders) também param com seus motorhomes.


                                                 

Nem a chuva nos afastou ou intimidou... indo de marquise em marquise, acabamos nos abrigando debaixo do portão da muralha, imaginando quanta história já passou por ali. 



                                              







Aqui reencontramos um casal espanhol, da Catalunha, que havíamos conhecido em um balneário na Letônia, alguns dias antes: Francesc e Sonia ficaram felizes com nosso reencontro e acabamos conhecendo alguns lugares da cidade juntos, antes de nos separarmos, pois eles já tinham compromisso agendado! 








St. Nikolas Orthodox Church


Tallinn é a maior cidade da Estônia e possui um terço da população de todo o país, com aproximadamente 500 mil habitantes. Sua primeira aparição em um mapa foi em 1154 e ela era chamada de Reval do séc. XIII até 1944, quando foi invadida pela Alemanha Nazista. Só posteriormente passou a chamar-se Tallinn. Para nós, do Viagem Família, foi uma das cidades (Old Town) mais lindas que visitamos até agora!!! Está na lista dos TOP 10!!!!

Shnaps e "poções"

Cardápio do restaurante com comidas típicas

Fazendo charme em um restaurante com comidas típicas (caça)


Mercado Público de Tallinn

Carne de alce e de urso: iguarias que você encontra por aqui!

Nosso último pôr-de-sol no Báltico, em Tallinn


Rannapungerja - LAGO PEIPSI




O maior lago que faz divisa entre países (Estônia e Rússia) na Europa possui em sua extensão áreas de camping e parking, com estrutura básica e gratuita. Como se trata de Parque Nacional, existe o controle de guarda-parques que verificam se ninguém "maluco" está colocando fogo na mata!! rsrsrs
Com 3555 km² e uma profundidade máxima de 15 m, ele possui algumas ilhas (29) e é formado por três lagos: Peipsi, Pihkva e Lämmi. O lago Peipsi atualmente é usado como local de recreação e pescaria, mas em 1242 foi palco da Batalha entre os Cavaleiros Teutônicos e as tropas de Novgorod, o Grande, da Rússia. 
Camping Público - RMK, com estrutura básica: bancos e mesas cobertos, pittoilet, churrasqueiras




Apesar de termos ficado apenas uns 15 dias rodando por este país, tivemos excelentes momentos e vivências que nos deixaram a certeza de que este é um destino imperdível na Europa.