______________________________________

.

.

.

sábado, 4 de janeiro de 2014

Santiago - Chile Parte 1

03 de janeiro de 2014

Acordamos preguiçosamente aí pelas 9h e após tomarmos nosso café da manhã, seguimos para nossa maratona diária: fazer o centro e seus principais pontos turísticos a pé. Nosso apart-hotel fica a apenas duas quadras da principal avenida, Alameda Bernardo O'Higgins, e já na esquina fica o prédio neoclássico imponente da Biblioteca Nacional.
Alameda Libertador Bernardo O'Higgins, ao fundo a Iglesia de San Francisco
Biblioteca Nacional
A iniciativa de se fazer uma Biblioteca Nacional nasceu em 1813, porém apenas 100 anos mais tarde passou a ser realidade. É uma das bibliotecas mais completas da América Latina e possui mais de 3 milhões de obras catalogadas.

Uma das salas de pesquisa, com obras antigas que contam a história das Américas


Seguindo pela mesma Alameda, à esquerda, fomos até o Palácio de la Moneda, atual sede da Presidência da República do Chile, do Ministério do Interior, da Secretaria Geral da Presidência e da Secretaria Geral do Governo.
Palacio de la Moneda (1874) - recentemente restaurado
Construído entre 1786 e 1812, o Palácio foi projetado originalmente para para abrigar a Casa da Moeda, quando o Chile era uma colônia espanhola. A Casa da Moeda foi inaugurada  oficialmente em 1805. Durante a independência do Chile, foi neste palácio  que se cunharam as primeiras moedas do Chile independente.
Foi utilizada pela primeira vez como residência e sede do governo por don Manuel Bulnes, em 1846. 

No caminho, passamos pela Iglesia de San Francisco (em obras), pela Universidad do Chile, Bolsa de Comércio e chegamos a Plaza de la Constitución, passando por diversas obras públicas. A cidade de Santiago está em obras! Muitos prédios históricos, museus, igrejas etc estão em reformas ou sendo isoladas para serem reformadas. Recentemente houve um terremoto que afetou a estrutura de alguns desses edifícios.
Iglesia de San Francisco (1586) - a construção mais antiga da cidade,
visto que sua nave central resistiu aos terremotos
Bolsa de Comércio (1921)
Plaza de la Constitución
Mais algumas quadras, chegamos a Câmara dos Deputados (Ex-Congreso Nacional) e algumas obras adiante, à Iglesia Catedral. A Plaza de Armas está cercada com tapumes e sendo restaurada.
Ex - Congresso Nacional
A Catedral levou 151 anos para ser construída (1748 - 1899) e possui um estilo eclético, com materiais como madeira, ouro, mármore, prata, entre outros. Sua estrutura ficou bastante abalada pelo último terremoto e será o próximo prédio histórico a ser restaurado. Há frestas e colunas meio expostas, a pintura do teto necessita de restauração e muitos detalhes estão encobertos pela ação do tempo, visto que nunca foi reformada.
Plaza de Armas em obras e Iglesia Catedral, ao fundo
Nave central da Iglesia Catedral
Esta é a segunda vez que estamos em Santiago e dessa vez novamente também não pudemos visitar a Casa Colorada - Museu de Santiago, pois está em reformas.
Em estilo colonial, a Casa Colorada foi a primeira edificação que se utilizou da cor vermelha em sua fachada
 e ser a primeira casa privada de dois pisos no país.  
Palacio Consistorial - Municipalidad de Santiago
Depois de mais uma "furada", seguimos ao Mercado Central, inaugurado em 1872, e que além das funções de mercado, possui restaurantes onde se pode degustar a deliciosa comida típica chilena, com muitos pratos a base de frutos do mar.
Caminhando pelo Mercado e olhando as lojinhas
Estrutura do telhado do Mercado, em estilo inglês
Não podíamos deixar de experimentar a famosa centolla - caranguejo gigante. Assim, sentamo-nos do restaurante mais famoso da cidade "done Augusto" e degustamos uma centolla com acompanhamentos, regadas a Austral gelada. Tudo uma delícia. Nosso garçom (moço), Hugo, possui destreza e rapidez para destrinchar o bichinho enquanto nós só observávamos... delííííí´cia!!!!!



Saciados, seguimos (8 quadras) até o Cerro Santa Lucia, entrando pela Calle Merced. O local onde hoje há o Cerro era apenas um morro de terra agreste, chamado de Huelén (dor, melancolia, pena)  pelos indígenas da região. Don Pedro Valdívia, ao tomar posse do lugar em 13 de dezembro de 1540, dia de Santa Lucia, o rebatizou  e iniciou a construção da Basílica de la Merced, abrigando irmãs eremitas e onde funcionou o primeiro observatório astronômico do país, por ser um local alto e de onde se pode vislumbrar a cidade.
Foi utilizado como forte durante a época da Reconquista (1814- 1817) e, em 1872, transformado em um um local cheio de árvores, estátuas e beleza, por Benjamín Vicuña Mackenna, que utilizou mão de obra de 60 prisioneiros que ficaram reclusos no Castillo Hidalgo (no alto do morro). Hoje é um dos pontos altos da visitação do centro da cidade. Imperdível!

Vista da cidade, do alto do Cerro Santa Lucia


Fomos até a estação de metrô para sacar um pouco mais de pesos chilenos ($200 mil) e decidimos ir até o Cerro San Cristobal, para andar de Funicolar (mais umas 10 quadras). No caminho, a Universidade Católica e outros prédios imponentes. Viramos à esquerda na Calle Pio Nono, rua cheio de barzinhos e restaurantes e, mais algumas quadras chegamos ao Parque Metropolitano. Entramos na fila para o Funicolar ($2000 ida e volta, por pessoa) e aguardamos uns 15min até que chegasse a nossa vez. Havia muitos estrangeiros e ficamos conversando e brincando em jamaicanês!
Fila para o funicolar



O mesmo edificador do Cerro Santa Lucia, Benjamim Vicuña Mackenna, também foi o idealizador desse empreendimento que passou a ser Cerro San Cristobal com  Alberto Mackenna Subercaseaux e Pedro Bannen, já em meados do séc XX. 


Tomando um mote con huesillo hellado - suco natural de pêssego, com pêssegos e grãos de trigo

Igreja ao ar livre - Santuario de la Inmaculada Concepción del Cerro San Cristóbal

Em 1966 foi elaborada a lei que transformou o Cerro em Parque Metropolitano. O funicolar vence uma diferença de altitude da estação de partida até a de chegada, no alto, de 280m, percorrendo 500m numa inclinação de 45°. Na metade do trecho os dois bondes se encontram e passam a poucos centímetros um do outro. Há uma estação intermediária para aqueles que desejam acessar ao Zoo, pela metade do preço. 


Nós recomendamos o passeio por sua diversidade e beleza. Do alto do Cerro, que está a 800msnm, e é o 2º ponto mais alto da cidade, vislumbra-se toda Santiago e a Cordilheira dos Andes. 

Na volta, a pé, curtimos um som muito legal: rock, country and blues de boa qualidade de uma road band e deixamos alguns pesos para os músicos, pois a música estava maneira!

video


Depois de alguns quilômetros andados pela capital chilena, voltamos ao nosso lar temporário e jantamos "panchos" con salsa de tomate!!!  Ótimo dia com muita atrações visitadas. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grato por visitar o ViagemFamilia. Críticas, elogios e quaisquer comentários são desejados, desde que feitos em terminologia ética e adequada.

SE FIZER QUESTIONAMENTOS POR FAVOR DEIXE ALGUMA FORMA DE CONTATO PARA POSSIBILITAR A RESPOSTA, COMO E-MAIL, POR EXEMPLO