______________________________________

.

.

.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Asunción del Paraguai - parte 1

06 de janeiro de 2011
Guaíra (PR) a Assunção (Paraguai)        

Passeando em Assunção
Oi, pessoal:
Hoje acordamos cedo (antes das 8h) e, depois do café, seguimos a Salto del Guairá para regularizarmos nossa estada no Paraguai, no setor de imigração. Despedimos-nos do Renato, da Larissa e das crianças e pegamos a Ruta 3.
A paisagem é muito parecida com a que encontramos no Paraná e norte da Argentina: essencialmente agrícola. Pra variar, passamos por longas extensões de soja.

1844- Primeira sede do Governo e Congresso Nacional Paraguaio
Fomos parados numa blitz em que o policial apena solicitou a documentação do carro e do condutor, recomendando o acendimento dos faróis, sob pena de multa. Agradecemos pela informação e seguimos adiante.

Fomos surpreendidos por um posto de pedágio recém-construído e cujo valor era de Gs 5000. Não tínhamos um p..... de guarani e pagamos em real. A moça não quis aceitar, pois não sabia a cotação e nem o que fazer. Chamou o guardinha que nos deixou passar pagando R$ 5,00. Êta, ladrão!!! Embolsou o dinheiro, pois não recebemos o comprovante.
Estávamos quase chegando à Asunción, aproximadamente uns 50 km antes, quando fomos parados novamente pela Polícia Caminera. Dessa vez, a conversa foi engrossando e ele nos acusou de ultrapassar o limite de velocidade no perímetro urbano (40 km/h) dizendo que a multa nesse caso era de Gs 510 000, equivalente a uns R$ 250,00 nas contas do “lesado”!! Aí o Marcão desligou o carro e foi até o postinho, argumentar e questionar o chefão do Posto. Muita saliva depois, o cidadão teve que liberar a gente, pois não conseguiu achar o motivo alegado da infração sugerida! Resumo: não pagamos nada!!! Que bando de policiais corruptos... o guarda disse que se pagássemos uma propina ele nos daria um “salvo conduto” (papelzinho) para podermos trafegar sem problemas no país. Vê se pode: a gente andando a 80 km/h e o cara vem encher o saco!!! É pra acabar.
Chegando a Asunción, fizemos o câmbio no Banco de la Nación, trocando 10 e recebendo Gs 54 500. Procuramos um hotel e na segunda tentativa tivemos sucesso. O Hotel Parana está localizado na Calle Caballero e nossa estadia ficou no valor de R$ 122,00.

         
Favela atrás do Congresso Nacional
Prédio atual do Congresso Nacional


               Fizemos um city tour pelo centro da capital paraguaia a pé, conhecendo o Panteon de los Heroes, a Iglesia Catedral de Asunción, o Congresso Nacional (antigo e novo), a Universidade Católica e o Ferrocarril. Fizemos compras de artesanato numa feirinha na Plaza de La Independencia.


Cúpula do Panteon

Interior do Panteon de los Heroes
       
Altar em prata no interior da Iglesia Catedral

Chamou-nos muito a atenção a falta de cuidado com prédios históricos e monumentos, alguns estando completamente descaracterizados. Outra coisa horrorosa é a favela que está instalada bem atrás do Congresso Nacional e ao lado do Quartel da Polícia Provincial. Uma vergonha!


Fazendo compras e tomando tereré

Fomos jantar no Bar San Roque, um restaurante muito charmoso e um dos mais antigos da cidade. Cada um pediu um prato diferente e todos estavam deliciosos e muito bem servidos.
Voltamos a pé para nosso hotel e vamos “tentar” postar as aventuras do dia... até amanhã!

Jantar especial no Bar San Roque








4 comentários:

  1. Que situação que vcs passaram com os policiais hein !!!

    ResponderExcluir
  2. É amigo Geovane descobrimos que por aquí a "propina" é uma instituição policial que quase todos pagam, até os próprios paraguaios, uma vergonha que ninguém se rebela!! Eu não paguei!!!

    ResponderExcluir
  3. Caríssimo AMIGO Marcos em 2008 paguei propina a policial no Paraguai, indo para assunção. Foi uma experiência muito desagradável. Depois de atravessar a ponte da amizade, a uns 15 a 20 Km, ainda na pista duplicada, fomos parados por um policial que foi logo dizendo em bom português: "você está multado em R$150,00"; sem compreender a razão da multa, perguntei o porquê. Ele respondeu: "seus faróis estão apagados"; continuei sem entender porque era 09:00 horas; depois alguns minutos de discussão eu perguntei aonde deveria pagar e ele me respondeu: paga a mim; eu nunca tinha pago propina na minha vida, então fiquei com muita raiva; eu disse, tire a multa e eu vou pagar aonde se deve pagar. Ele passou a fala, creio em guarani, espanhol, sei lá o que, e eu passei a não entender nada do que ele dizia. Durante a discussão ele não tirou a mão da pistola; ai meu filho me disse, painho ele quer é dinheiro; ai eu pensei, esse cara vai me criar mais problemas, então não sei porque eu disse: se eu te pagar R$50,00, o problema está resolvido? Ele respondeu imediatamente? Sim! eu disse: estou indo para Assunção. Não terei mais problemas? Ele disse Sim, o senhor não terá mais problemas. Pode ir e voltar, sem problemas. Paguei os R$50,00, e, não sei se por coincidência, mas fui e voltei sem ser incomodado por ninguém. No dia seguinte quando sai de Foz do Iguaçu, ao ligar o rádio do carro ouvi a seguinte notícia: casal de brasileiro desapareceu no Paraguai depois de se negar pagar propinas a policiais paraguaios. Mora da história: foi a propina que pode ter me livrado de problemas maiores no Paraguai. Minha esposa ficou tão amedrontada que jurou nunca mais voltar ao Paraguai. kkkkkkk. Abração Marcos, extensivo `sua família!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amigo José Gabriel:
      Infelizmente essa praga da propina ainda acontece e temos que nos unir e não pagar, só assim a coisa acaba!
      Esses "policiais camineros" já tem o hábito de agir assim mesmo que nenhuma infração tenha sido cometida! Evite criar problemas, faça como nós fizemos, saimos do carro, nos sentamos e ficamos esperando até nos liberarem. Pode aproveitar e fazer um almoço, lanche ou outra coisa qualquer que demonstre que você não tem pressa e NÃO VAI PAGAR!!
      O Paraguai tem muitas belezas, e não é um corrupto que vai fazer você desistir disso, pense nisso!
      Grande abraço do Viagem Familia

      Excluir

Grato por visitar o ViagemFamilia. Críticas, elogios e quaisquer comentários são desejados, desde que feitos em terminologia ética e adequada.

SE FIZER QUESTIONAMENTOS POR FAVOR DEIXE ALGUMA FORMA DE CONTATO PARA POSSIBILITAR A RESPOSTA, COMO E-MAIL, POR EXEMPLO