______________________________________

.

.

.

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Parque Nacional das Emas - GO

Dia 29 de dezembro de 2012
Parque Nacional das Emas - Chapadão do Céu (GO)
Amanhacer em Chapadão do Céu (GO)

Depois do jantar desastrado de ontem à noite, em que houve confusão nos pedidos ( evite a Pizzaria Queiroz no centro da cidade. Desorganizada e atendimento mmmuuuuiiiitttooooo leeennnttooo!!) e o casal Garça quase não jantou, acordamos cedo (6h15min), pois nosso guia, Edimar (muito bom) já estava nos aguardando para conhecermos melhor o Parque, com suas belezas.
Mas antes, vamos conhecer um pouco da história dessa cidade pitoresca.

Viagem Família junto com a Bela, proprietária do Vitor Hotel

Chapadão do Céu foi fundado em 21 de agosto de 1982 (só foi emancipada em 1991), por Alberto Rodrigues da Cunha motivado pela expansão da agricultura no sudeste goiano. As terras do cerrado passaram a se chamar de “os Sertões dos Garcias”, pela enorme influência que essa família teve na colonização da região. O nome “Chapadão do Céu” se deve ao fato de as terras planas do cerrado se fundir ao céu, dando a impressão que se está numa imensa mesa isolada do restante do mundo.
Em 2002, Chapadão do Céu conquistou o título de melhor IDH de Goiás, o que continua até os dias atuais.
População: 7000 habitantes
Distância até Goiânia: 465 km
Altitude média: 725 m
As terras dessa cidade compõem o Parque Nacional das Emas – maior reserva de cerrado do mundo. Embaixo de suas terras, está o Aquífero Guarani, maior reserva de água doce do mundo.
Coruja buraqueira, em meio aos cupins

Gafanhoto

O Parque possui uma área de 131.868 ha, onde convivem dezenas de espécies de animais e centenas de plantas.  Foi criado em 1961 e teve seus limites revistos em 1972. Em 2001 recebeu o título de Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO, também tendo o título de Reserva da Biosfera do Pantanal.

Infelizmente, apesar de toda a importância desse Parque, o descaso e falta de competência da administração fazem com que ele esteja meio abandonado, não tendo a estrutura que se espera no caso de um patrimônio natural de tal magnitude. É administrado pelo ICMBio-Instituto Chico Mendes da Biodiversidade subordinado ao Ministério do Meio Ambiente, que nada está fazendo para melhorar a infraestrutura do parque apesar de se pagar um ingresso de R$ 12,00 por pessoa, nada se oferece ao visitante. Nem um comprovante -ingresso- muito menos um simples folheto explicativo. Uma VERGONHA!!! É necessário contratar um guia por sua conta para poder entrar no Parque e conhecer suas atrações. Então, além do ingresso, você terá de contar com o valor de, aproximadamente, R$ 120,00 a diária do guia credenciado. Na sede do Parque, há diversas instalações modernas e que estão ociosas, sendo destruídas pela própria ação do tempo e falta de uso e falta de vontade das administrações oficiais do governo!!



Rio Formoso (GO) - Parque Nac. das Emas

Encontramos dezenas de materiais de escritório à espera da implantação de um centro de visitantes digno, em que se tenha um mínimo de infraestrutura, todos abandonados, se deteriorando. O observatório existente no Parque está abandonado, pois foi invadido por abelhas e ninguém se dispôs a tirá-las de lá.
Sucuri de, aproximadamente, 7 metros
Anta no meio da plantação
Veado campeiro no meio da plantação de soja
Há dois anos, uma grande queimada atingiu uma grande da área do Parque, matando 80% de todos os tamanduás que lá viviam... então, hoje, o que menos se vê na região são animais. Parece piada, mas vimos mais animais nas plantações do que dentro da área do Parque. Nas plantações de soja que rodeiam o Parque observamos: veados campeiros, anta, dezenas de emas, siriemas, queixadas, tatus, além da grande variedade de pássaros, que encantam e ensurdecem com seu cantar. 

Depois de centenas de fotos e de muitos km rodados dentro do Parque, nos despedimos do Edimar, um grande guia e conhecedor das belezas do cerrado, e seguimos em direção à Chapada dos Guimarães, já no Mato Grosso. 
Como esse ano o Reveillon será "emendado" com o feriado do dia 1º de janeiro,  optamos por dormir em Jaciara, por imaginarmos que seria praticamente impossível encontrarmos pernoite na Chapada. Foi uma boa ideia: Jaciara nos surpreendeu positivamente, pois possui boa infra estrutura, possuindo muitas cachoeiras e águas termais, sendo um destino dos cuiabanos para passagem de final de semana.

3 comentários:

  1. Olá amigos,
    Seguimos aqui acompanhando a viagem...
    Uma decepção saber que o Parque das Emas está nessas condições precárias...
    O Brasil têm lugares fantásticos, imensos na sua grandiosidade e beleza mas este descaso é revoltante...E quando o pessoal parece que começa a "acordar" para o potencial turístico, resolve... explorar todo o turista que encontra na frente...
    Uma pena...
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. Pelo que entendi, provavelmente seu "grande guia", ou o centro de visitantes embolsou o dinheiro até mesmo do ingresso, além disso, quem poe o preço da guiada é o proprio guia, e não a instituição. Desta forma a instituição deveria ser avisada sobre a conduta do centro de atendimento ao turismo da cidade, ou do guia que deveria ter dado o recibo do vaucher.
    É claro que os animais aparecem mais fora do que dentro! Dentro eles se encontram camuflados com a vegetação, ainda mais se for carro baixo o horário também influencia, além de que a oferta de alimento os atrai para fora durante o dia, de tarde eles voltam para o parque. Estive lá recentemente e fiz vários registros, inclusive de anta, cervo, muitas aves raras, dentro do parque.

    ResponderExcluir
  3. Prezado Anônimo: Provavelmente você tenha razão quanto ao eventual desvio de dinheiro, mas não acredito que por parte do guia! A instituição foi cobrada com um ofício formal da ONG Viagem Familia, sobre a correção dos procedimentos e uma eventual notificação do Ministério Público Federal sobre os problemas que encontramos no local. Não entendemos a sua colocação sobre " é claro que os animais aparecem mais fora do que dentro"! Não somos amadores em observação de vida selvagem e além de estarmos equipados com veículos e equipamentos adequados a observação, seguimos todos os procedimentos para esta! Estivemos no Parque desde as mais iniciais horas da manhã até o por do sol, e além de pássaros, pouquíssimos exemplares de fauna foi visualizada. No nosso entendimento, é dentro da reserva que deveriam se encontrar os espécimes e não se alimentando em plantações circunvizinhas. Se isso está acontecendo, é uma evidência de que o Parque é inútil como reserva e reprodução de vida selvagem. Agradecemos suas colocações e estamos a disposição para maiores esclarecimentos pelo email viagemfamília11@gmail.com
    Ass. Marcos A. Junghans
    Diretor Viagem Familia

    ResponderExcluir

Grato por visitar o ViagemFamilia. Críticas, elogios e quaisquer comentários são desejados, desde que feitos em terminologia ética e adequada.

SE FIZER QUESTIONAMENTOS POR FAVOR DEIXE ALGUMA FORMA DE CONTATO PARA POSSIBILITAR A RESPOSTA, COMO E-MAIL, POR EXEMPLO