______________________________________

.

.

.

terça-feira, 16 de agosto de 2016

De São Bento do Sapucaí para casa - Barra Velha-SC

 
Igreja Matriz São Bento (1853)
           Hoje é sábado e como temos que estar na próxima segunda-feira em casa, com quase 800 km pela frente, acordamos cedo para conhecer essa simpática cidade. Dessa forma, para não ficar muito cansativo, dividiremos a distância parando para dormir na casa de parentes na cidade de Jundiaí. Como é bom poder contar com a possibilidade de acomodação na casa de amigos e parentes quando se faz uma viagem longa! Dessa forma os custos diminuem e pode-se planejar pontos de apoio ao longo do percurso.
Nosso local de acampamento na Pousada da Vovó Nana (0xx-12-99623-9440)




           São Bento do Sapucaí é também reconhecida como uma das 12 cidades clima ou Estância Climática. Localizada na Serra da Mantiqueira possui uma população de aproximadamente 10.500 habitantes e tem o turismo de aventura e turismo ecológico entre suas principais atividades principalmente pela sua proximidade ao Complexo da Pedra do Baú. Também podem ser encontrados quiosques com artesanato de fibra de bananeira,  doces caseiros, cachaças artesanais e chocolates.
          A cidade surgiu com o desbravamento da região em busca de ouro e pedras preciosas através dos bandeirantes. O principal deles foi Gaspar Vaz da Cunha, conhecido como Oyaguara. Oyaguara na língua indígena significa cão branco feroz ou lobo,  nome dado a ele pela sua ferocidade no trato com companheiros e também contra os indígenas que combateu.
          Com o a diminuição de ouro na região, lentamente a economia do então povoado Terras Altas do Sapucaí passou a ser concentrada no cultivo do fumo da cana de açúcar e do café dando espaço ao crescimento do local com utilização de mão de obra escrava. 
          Passou a condição de cidade no ano de 1832 e a Estância Climática somente em 1976. São Bento ainda foi palco de combates da Revolução Constitucionalista de 1932 pela sua proximidade com o estado de Minas Gerais que aliado ao governo de Getúlio Vargas combateu os paulistas que queriam o separatismo. Hoje existe o Museu da Revolução no bairro Morro do Quilombo que conta essa história.
          Cachoeiras, trilhas, circuitos de bike, casario histórico são outras atrações dessa pacata cidade que tem na sua alma o turismo e a receptividade com gente acolhedora e muito simpática.
          Para conhecer melhor São Bento do Sapucaí, vá ao Centro de Informações Turísticas e adquira o Guia Prático de São Bento do Sapucaí, verdadeira bíblia para os aventureiros e amantes do turismo radical.

          Tomamos um gostoso café, cortesia do Márcio da Pousada Vovó Nana e fomos conhecer a primeira atração, uma das mais conhecidas da cidade. Trata-se da Capela de Mosaicos, construída no início do Século XX foi reformada em 2008 por motivo de apresentar rachaduras e também foi redecorada para se diferenciar das demais capelinhas que são tradicionais para a devoção. Ângelo Milani e Claudia Villar, casados e artistas plásticos, foram os autores dos trabalhos mosaicos diferenciados e geométricos que decoram todas as superfícies dessa conhecida atração da cidade.

Capela dos Mosaicos



          Caminhar pela cidade conversando com moradores e descobrindo novidades e curiosidades dos lugares que passamos sempre foi uma atividade que realizamos. Não basta apenas fazer passeios ou visitar o que é mais divulgado ou conhecido.
           O Centro de Informações Turísticas localizado ao lado do Mercado Municipal bem no centro da cidade também foi uma ótima referência pois a Reny que nos atendeu tem muito conhecimento a passar. Conversamos também com um simpático senhor chamado Zé do Leme, figura folclórica da cidade que também muito simpático nos proporcionou boas informações e muito humor.  Claro que não poderíamos deixar de adquirir deliciosas trufas de chocolate caseiro da região.

Caminhando pelas calmas ruas históricas de São Bento


Conversando com o Zé do leme

Centro de Informações Turísticas de São Bento do Sapucaí
Deliciosos chocolates artesanais.
         Agora é cair na estrada para voltar para casa com a certeza de que São Bento do Sapucaí, Campos do Jordão, Santo Antônio do Pinhal, São Luiz do Paraitinga, Pindamonhangaba, Piquete, Monteiro Lobato e tantas outras cidades que compõe a Serra da Mantiqueira merecem todas visitas mais demoradas e minuciosas.
         Evidentemente durante o percurso antes de chegarmos à cidade de Jundiaí - onde nos abrigaremos na casa de nossos queridos primos - paramos para adquirir delícias coloniais tão típicas daqui, afinal a mistura de sabores combina com a mistura dos estados de Minas Gerais e São Paulo que por aqui estão sempre próximos nos costumes locais.


         Depois de uma ótima noite dormida na casa de amigos parentes voltamos pela tão famosa quanto perigosa BR 116 ( Regis Bittencourt) descendo a Serra do Mar paranaense pela também famosa Estrada da Graciosa aproveitando para degustar os famosos pastéis da serra em locais muito bonitos. Toda volta é boa, mas sempre deixa uma vontade de retornar o quanto antes para uma nova aventura.

Paradinha para o pastel no Paraná-Serra da Graciosa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grato por visitar o ViagemFamilia. Críticas, elogios e quaisquer comentários são desejados, desde que feitos em terminologia ética e adequada.

SE FIZER QUESTIONAMENTOS POR FAVOR DEIXE ALGUMA FORMA DE CONTATO PARA POSSIBILITAR A RESPOSTA, COMO E-MAIL, POR EXEMPLO