______________________________________

.

.

.

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Mendoza a Las Leñas - Argentina

Dia 07 de janeiro de 2015
Mendoza a Las Leñas


Após o café da manhã e a despedida e agradecimentos ao Gustavo pelas informações e dicas dadas, seguimos ao sul, pela Ruta 40, com destino inicial a Tupungato ("mirador de estrellas"), distante 100 km da capital (já no Vale do Uco), local que possui o maior reservatório de glaciares da Província, com elevadas formações como o Cerro Tupungato (6520 msnm) - vulcão extinto, além de contar com rica biodiversidade, sedimentos de origem marinha e rochas vulcânicas. Infelizmente o tempo estava fechado, não se via nenhuma montanha e resolvemos abandonar esse projeto, seguindo em frente, até Pareditas, onde paramos para comprar o nosso lanche e pegar algumas informações sobre a próxima atração a ser visitada: a Laguna Diamante.


Estrada que liga a Ruta 40 à Laguna Diamante

Brincando um pouco!
Descobrimos que o primeiro trecho da estrada, com aproximadamente 40 km está asfaltado (novíssimo!) e que dali, teríamos de pegar um entrocamento à direita, mais 28 km até a base da Reserva e 35 km de rípio e areião, já na área da Reserva Natural Laguna del Diamante. Seguimos em frente, curtindo a paisagem e, lá pelas tantas, depois de tantas subidas, o Abutre ferveu!!!! Enquanto ele esperava abaixar a temperatura do carro, os outros seguiram até a base da Reserva, onde há uma base da Polícia Ambiental e onde pegamos informações com o guarda parque, Carlos.



Mapa demonstrativo da trilha até a Laguna Diamante. Marcos junto com o guarda parque, Carlos

Contêiner com pequeno museu


Os animais encontrados nas imediações viram peças do museu educativo
Ele foi muito gentil dando-nos as orientações necessárias e, para frustração de todos, não pudemos subir o restante da trilha, pois não haveria tempo suficiente para "subirmos e descermos" antes do anoitecer (já era próximo do meio dia). Como não estávamos preparados para acampar, tivemos de abortar mais esse passeio!!!!


Trilha educativa com espécies da flora andina
Tipos de rochas encontradas no local

FICA A DICA: se você quiser conhecer a Laguna Diamante, poderá dormir em Pareditas (ou San Rafael), chegando BEM CEDO ao Parque. O trajeto leva aproximadamente 3 horas ( e o mesmo tempo pra voltar), sendo necessário o veículo 4x4, pois há subidas íngremes e sinuosas, em piso de rípio. Há a possibilidade de se acampar nas bases da Polícia Ambiental, tanto no início da trilha quanto já na Laguna. O Vulcão Maipo (5323 msnm) se reflete na Laguna Diamante (3300 msnm), formando "um diamante". A laguna é formada por água de degelo e é um dos reservatórios de água doce da Província.


Lanchando sob o olhar da raposa, ao fundo


Desta forma, após fazermos nosso lanche em companhia de uma raposa andina, seguimos em frente, prometendo voltar para conhecer o local de forma adequada: acampando às margens da Laguna, com vista para o Vulcão!!!!
Retornamos até a RN 40, passando pelo Dique Agua del Toro, uma construção magnífica realizada entre os anos de 1966 e 1974, onde pudemos tirar muitas fotos. A altura do dique é de pouco mais de 118 m e  o concreto utilizado em sua construção contém 270 kg de cimento por m³ - capaz de suportar a compressão máxima de 40 kg/cm² nos pilares!!!


Lago formado pelo rio Diamante. Ao, fundo, Cerro Diamante
Represa Hidrelétrica Agua del Toro - 118,5 m de altura

Cruzando por cima da represa
Entrando no túnel
Saída do túnel
Continuamos até Las Leñas, nos afastando da RN40 em 50 km, percorrendo a Ruta Provincial 222, sinuosa entre as montanhas, tendo de parar de vez em quando para que o rebanho de ovelhas saísse do caminho.


Chegando em Las Leñas
Las Leñas é uma das mais famosas estações de esqui da Argentina (desde 1983), cercada por diversas montanhas (Ponce, Los Fósiles, Collar e Torrecillas) e que foi sede dos Jogos Pan Americanos de Inverno de 1990. Há 60 km de pistas de esqui para todos os níveis e também uma pista com iluminação noturna. As opções de hospedagem são diversas: desde hotéis de luxo até apartamentos; contando com restaurantes, shoppings e mercados, lojas que alugam equipamentos de inverno etc e tal. É claro que não utilizamos nenhum desses serviços, pois é verão e não há neve!!! As opções de hospedagem no verão diminuem, mas foi bastante tranquilo encontrar pernoite.
Anoitecer em Las Leñas
Hospedamo-nos no Hotel Geminis (www.laslenassky.com), por $700 para 4 pessoas, sem café da manhã, mas com direito à piscina aquecida! Surpreendentemente, apesar da fama internacional,  destaca-se que não há caixas eletrônicos no local e muito menos bancos. Portanto, leve dinheiro em espécie (pesos, dólares, euros) e cartão de crédito/débito. Os serviços bancários ficam em Malargüe, 76 km de distante, que também possui aeroporto.
Em tempo: no inverno, os preços das diárias aumentam de 4 a 5 vezes e as reservas devem ser feitas com, no mínimo, 6 meses de antecedência.



Enquanto uma parte do grupo se deliciava nas águas mornas da piscina, Mari e Edu seguiram até o supermercado para efetuar as compras pro café da manhã do dia seguinte. Compras e contas feitas, o grupo se reuniu para jantar no restaurante El Parador. Tudo estava uma delícia, a começar pelo ENORME sanduíche (hamburguesa) servido no prato para o Lucas!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grato por visitar o ViagemFamilia. Críticas, elogios e quaisquer comentários são desejados, desde que feitos em terminologia ética e adequada.

SE FIZER QUESTIONAMENTOS POR FAVOR DEIXE ALGUMA FORMA DE CONTATO PARA POSSIBILITAR A RESPOSTA, COMO E-MAIL, POR EXEMPLO