______________________________________

.

.

.

domingo, 26 de julho de 2015

Jundiaí (SP) a São Thomé das Letras (MG)

Dia 24 de julho de 2015
Saindo de Jundiaí (SP) e indo até São Thomé das Letras (MG)
Vista das montanhas de quartzito e a cidade de São Thomé
Após um bom bate papo e café da manhã com os primos, seguimos via Rod. D. Pedro até a Rod. Fernão Dias para entrarmos em Três Corações -  cidade onde nasceu o Rei Pelé.
Recepção sempre calorosa dos primos Zé e Adriana!
Só passamos pela cidade, pois nosso destino para hoje é conhecer São Thomé das Letras, cidade famosa pelo exoterismo e misticismo envolvendo desde lendas antigas a aparições de ETs e discos voadores, passando por seitas de contemplação e também pela extração da pedra São Tomé - utilizada na construção civil como revestimento de paredes e pisos de piscinas, por exemplo.
Chegando a São Thomé das Letras-MG.
Ainda na estrada podia se ver enormes manchas brancas no meio do morro! As montanhas são compostas pela pedra, que é um quartzito, muito utilizada nas áreas externas por não reter o calor e nem a água, sendo anti-derrapante.

Ruazinha típica de São Thomé
É importante saber distinguir o quartzito de São Tomé dos arenitos. Quartzito é uma rocha metamórfica, composta essencialmente por quartzo: arenito metamorfizado em que o cimento silicoso se recristalizou. Já os arenitos são rochas compostas predominantemente de grãos de areia consolidados por um cimento natural. Os arenitos soltam grãos de areia com muita facilidade. (http://www.romanopedras.com.br/pedra-sao-tome-curiosidade.php)
Entrada da gruta onde foi encontrada a estátua de São Thomé
No meio da montanha e das manchas brancas está a cidade, a aproximadamente 1400 msnm, Todas as ruas de São Thomé são calçadas com a pedra, o que torna o piso bastante irregular e a velocidade de tráfego automotor próximo de 20 km/h (carro rebaixado aqui não tem vez!) As ruas são estreitas, muitas em mão única! Há centenas de opções de acomodação - com os preços variando desde R$ 25,00 até R$ 60,00 por pessoa-, desde hotéis e pousadas, até hospedarias e quartos para  aluguel, portanto, deixar de visitar esta cidade alegando falta de hospedagem ou preço abusivo é "balela"! Também existem diversos campings e espaços onde estacionar motor homes, inclusive em terrenos particulares, visto que os moradores são muito gentis e cedem estes espaços em troca de poucos reais.  Restaurantes e lanchonetes também há aos montes... para aqueles que gostam de comida mineira, há opções boas e com preços justos! 

Igreja Matriz de São Thomé das Letras
Chegando à cidade, fomos logo buscar acomodação e como era sexta-feira, ficamos preocupados em não encontrar hospedagem mais ao final da tarde, o que não se confirmou. A crise atingiu a todos e havia hospedagem em todos os hotéis e pousadas que pesquisamos! Dessa forma optamos pela  Pousada Sol e Lua (www.pousadasoleluasaothome.com), cujo valor era de R$ 50,00 por pessoa, com garagem e wi-fi, sem café da manhã! Seguimos até o centro para descobrir os encantos da cidadezinha, de pouco mais de 6 mil habitantes. 

Igreja de Pedra
A lenda conta que no séc XVIII, um escravo fugido de João Francisco Junqueira encontrou um homem de vestes brancas (São Tomé) dentro de uma gruta, que lhe ofereceu uma carta escrita em ouro para entregar ao seu sinhozinho. Apresentando a carta ao seu antigo dono, o escravo teve sua alforria decretada e voltando à gruta encontraram uma estátua, que foi colocada dentro da igreja construída (1785) para este fim. O topônimo "das Letras" se deve ao fato da carta ter sido escrita em letras belíssimas, dizem que desenhadas a ouro e das inscrições rupestres encontradas numa das paredes da gruta. 
Fragmento da Inscrição Rupestre já deteriorada pela ação do tempo
Historicamente, quem habitava a região até meados do séc XVIII eram os índios cataguás, porém eles foram expulsos pelos bandeirantes. Durante o século seguinte a cidade era utilizada como cidade-dormitório. Apenas no séc. XX  passou a ser explorada a extração da pedra São Tomé, que é até hoje a principal fonte de renda do município. A estátua do santo foi roubada da Igreja Matriz em 1991. Dizem que o ladrão era o padre da congregação!!! 
A centro da cidade foi tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais em 1996.
Nos fundos da Igreja Matriz

Observando as inscrições de pessoas enterradas ao lado da Igreja Matriz
Ao lado da Igreja Matriz está o cemitério da cidade. A peculiaridade deste local é que ele foi construído de forma elevada com terra trazida de outros locais, pois o solo local é composto de quartzito arenítico com grande concentração de sílica. Isto impede a natural decomposição da matéria orgânica. A este formato é dado a nomenclatura de Cemitério Aéreo.
Cercando a praça central, Praça Barão de Alfenas, são encontrados muitos restaurantes, casas de turismo que oferecem guias e pacotes de passeios, bem como lojinhas de artesanato e roupas típicas da região. Por se tratar de uma cidade exotérica, há inúmeras opções de batas e vestidos indianos, com padrões muito lindos, além de calçados e bolsas de couro e artesanato em pedra! 
Fomos até o Centro de Informação Turística do município e não havia mapa da cidade, apenas um folder com a história e algumas informações sobre a região. Assim, pegamos um mapinha numa loja de turismo e artesanato e seguimos até a Igreja de Pedra. Deixamos o carro na garagem e seguimos até o Parque Municipal Antônio Rosa onde fica a famosa Casa da Pirâmide e Morro da Cruz, onde assistimos o pôr-de-sol, acontecimento diário acompanhado por centenas de visitantes e moradores! 
Casa da Pirâmide
Meditando e vendo o vale
Momento mágico de São Thomé das Letras


Retornamos à pousada para pegarmos um agasalho e seguimos até o centro da cidade para jantarmos! Após visitarmos inúmeros restaurantes, optamos pelo O Alquimista, com comida mineira! Um prato de feijão tropeiro com acompanhamentos para duas pessoas (que serve BEM três pessoas) ficou por R$ 66,00. O Camilo, nosso garçom, foi quem nos contou as histórias da cidade, pois foi guia por 4 anos e estas foram confirmadas pelo Paulo, proprietário da loja de artesanatos Arte Brasil localizada a uma quadra da praça central.

Depois do jantar, ainda formos passear pelo centro e ver/comprar souvenirs. Durante a noite, fomos acordados algumas vezes pelos turistas que gostam da boemia e muitos também acordaram bem cedo, de madrugada (aí pelas 5h30min) e corajosamente foram assistir ao nascer do sol na Casa da Pirâmide!

DICA PARA QUEM QUER CONHECER SÃO THOMÉ DAS LETRAS: Na região há inúmeras opções de cachoeiras, grutas, comunidades alternativas de meditação, alimentação natural entre outras variadas opções para serem visitadas, portanto reserve pelo menos 2/3 dias para ficar em São Thomé e aproveitar o que a natureza tem a oferecer! Os passeios ficam distantes 20/30 km do centro da cidade, portanto necessitam de tempo para fazê-los. Recomendável a utilização de veículos altos e com tração 4x4 nos passeios fora da cidade. Se não tiver, opte por contratar passeios guiados na praça da Matriz onde ficam a disposição guias e seus veículos já preparados para enfrentar as estradas ruins da região.
Traga roupa de banho, protetor solar e muita descontração pois a cidade é bem descolada e atende todas as tribos e modos de vida! Divirta-se!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grato por visitar o ViagemFamilia. Críticas, elogios e quaisquer comentários são desejados, desde que feitos em terminologia ética e adequada.

SE FIZER QUESTIONAMENTOS POR FAVOR DEIXE ALGUMA FORMA DE CONTATO PARA POSSIBILITAR A RESPOSTA, COMO E-MAIL, POR EXEMPLO