______________________________________

.

.

.

segunda-feira, 30 de março de 2015

Puerto Madryn a Pedro Luro

16 de janeiro de 2015
Pto Madryn a Pedro Luro (Província de Buenos Aires)


Após o café da manhã e arrumadas as "tralhas" deixamos Pto Madryn, seguindo pela Ruta 3 em direção norte. Por volta do meio dia alcançamos a cidade de Viedma, capital da província de Rio Negro e nos despedimos da Patagônia ao atravessarmos o canal do Rio Negro.
Do outro lado da ponte está a cidade de Carmen de Patagones, já na província de Buenos Aires. O Rio Negro oferece excelentes condições para a prática de esportes náuticos, como vela, esqui aquático, jet ski, entre outros. A ponte ferroviária que une as cidades de Viedma e Carmen de Patagones foi trazida de Hamburgo (Alemanha) e inaugurada em 1931.
Vista do Rio Negro e de Viedma do outro lado
A cidade de Carmen de Patagones, com um pouco mais de 20 mil habitantes,  é muito curiosa e está ligada intimamente a história de nosso Brasil. O nome da cidade é uma homenagem à padroeira, Virgen de Nuestra Señora del Carmen, e aos aborígenes que habitavam a região da Patagônia e que assim foram chamados pelo explorador espanhol Fernando de Magalhães.
Iglesia Parroquial de Nuestra Señora del Carmen

Um pouco de história...
A Batalha de El Carmen aconteceu em 1827, durante a Guerra Cisplatina (1825-1828), pois a cidade havia se tornado base naval da Argentina, uma vez que o principal porto seguro neste país (no estuário do Rio de la Plata) estava bloqueado por navios brasileiros. Apesar da frota brasileira ser superior a de seu oponente, eles usaram de estratégia errônea e desembarcaram muitos homens, deixando os navios sem proteção. Assim, desprotegidos, os soldados brasileiros (muitos escravos) foram facilmente dominados e sofreram uma das mais vergonhosas derrotas brasileiras. Dificilmente sua história é contada ou encontrada em livros de história. 
Duas das bandeiras brasileiras do Império estão dentro da catedral e são motivo de orgulho para a população, que mesmo em número inferior, conseguiu proteger e vencer a Batalla del Cerro de la Caballada.

Torre remanescente do antigo Forte
Carroção utilizado para transporte de lã e outros produtos
Após nos surpreendermos com uma parte de nossa história que não conhecíamos, voltamos à Ruta 3, em direção à Bahia Blanca, parando em Pedro Luro, pois coincidentemente a Mari, o Pedro e a Edu estavam passando mal. Encontramos às margens da rodovia o Hostal del Viento (www.elhostaldelviento.com.ar), cujo proprietário Miguel nos atendeu prontamente, fechando por $800 o pernoite para 4 pessoas. Como havia restaurante no local, aproveitamos para jantar por ali mesmo. 


Pedro Luro é uma cidadezinha de pouco mais de 10 mil habitantes e bastante conhecida pelas termas, cujas águas avermelhadas têm temperaturas de até 70°, possuindo ações terapêuticas (anemias, raquitismo, reumatismo, artrite, dermatites,..). A Termas Los Gauchos possui um lago artificial de 2ha, aproximadamente, e o hotel termal possui águas com temperaturas de até 80°. Há 6 km do centro da cidade há a Laguna La Salada, cujo espelho d'água tem aproximadamente 450ha e é rodeado por colinas, com extensas praias e fundo de areia. 



A cidade está localizada numa região produtora de grãos e Pedro Luro é um entreposto de comercialização de grãos e cereais. Assim, a infestação de aves provoca um espetáculo ensurdecedor ao entardecer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Grato por visitar o ViagemFamilia. Críticas, elogios e quaisquer comentários são desejados, desde que feitos em terminologia ética e adequada.

SE FIZER QUESTIONAMENTOS POR FAVOR DEIXE ALGUMA FORMA DE CONTATO PARA POSSIBILITAR A RESPOSTA, COMO E-MAIL, POR EXEMPLO